Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“As eleições de 2020 serão as mais imprecisas e fraudulentas da história.” Foi no Twitter, como de costume, que Donald Trump fez a crítica e lançou a sugestão. Depois de dizer que as presidenciais de novembro, ao serem feitas por correio, podem estar sujeitas a fraudes, lançou a pergunta: que tal adiar as eleições “até que as pessoas possam votar de maneira adequada, segura e protegida?” Para que não houvesse dúvidas de que não se tratava de uma afirmação, o presidente dos EUA usou três pontos de interrogação.

O tweet foi publicado minutos depois de se saber que o país entrou oficialmente em recessão e num altura em que as sondagens dão vantagem a Joe Biden.

Mas por muito que Donald Trump queira mexidas nas datas é altamente improvável que venha a consegui-lo. Segundo a legislação em vigor, as presidenciais têm de ser realizadas na primeira terça-feira depois de 1 de novembro e a lei não pode ser alterada sem um ato do Congresso — e isso seria difícil de aprovar numa câmara controlada pelos democratas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por outro lado, nos Estados é permitido o voto antecipado e também o voto por correio. Em qualquer um dos casos, esta forma de escolher o próximo presidente dos EUA favorece Biden e prejudica Trump.

Horas antes, num outro tweet, Trump já tinha atacado o voto por correio dizendo que se estava a revelar “um desastre catastrófico”, considerando-o “uma maneira fácil de os países estrangeiros participarem da corrida”.