Cento e oitenta operacionais, apoiados por 10 meios aéreos, estão a combater um incêndio florestal que lavra com “forte intensidade” desde as 17h35 em Esteveira, concelho de Abrantes, com muito vento a sentir-se no local, segundo a Proteção Civil.

“O incêndio está a lavrar com forte intensidade, em zona de eucaliptal e pinhal, e com muito vento no local”, disse à Lusa, cerca das 18h35, o comandante Jorge Gama, do Comando Distrital da Proteção Civil (CDOS) de Santarém, tendo realçado os “difíceis acessos” e a “importante presença de 10 meios aéreos” no combate às chamas naquela localidade da União de Freguesias de São Facundo e Vale das Mós.

Segundo a mesma fonte, “houve várias casas em perigo, que estavam próximas das chamas, mas as habitações foram defendidas e o incêndio passou perto sem causar quaisquer danos humanos ou patrimoniais”.

O comandante de serviço à sala de operações disse ainda que o incêndio lavra agora em zona de mato, eucaliptal e pinhal, sem habitações por perto, e que a frente de fogo “começa a ceder” aos meios aéreos e no terreno.

Cerca das 18h40, segundo a página da Proteção Civil, estavam a combater o incêndio em Esteveira, Abrantes, 180 operacionais, apoiados por 45 viaturas e 10 meios aéreos.

Fogo em Abrantes foi dominado em duas horas

O incêndio florestal que lavrou durante a tarde em zona florestal na localidade de Esteveira, Abrantes, foi dominado às 19h38 pelos cerca de 180 operacionais e 10 meios aéreos que estiveram no terreno, indicou esta segunda-feira a Proteção Civil.

O incêndio está em fase de conclusão desde as 19h38 e as próximas horas vão ser de trabalho de consolidação da área ardida e de vigilância noturna para evitar possíveis reativações”, disse à Lusa o comandante Jorge Gama, do Comando Distrital da Proteção Civil (CDOS) de Santarém.

No local estiveram 180 operacionais, apoiados por 45 viaturas e 10 meios aéreos, que combateram um incêndio florestal que lavrou com “forte intensidade” desde as 17h35 em Esteveira, concelho de Abrantes, num combate dificultado pelo “forte vento e difíceis acessos”.

Segundo a mesma fonte, o incêndio lavrou em “zona de eucaliptal e pinhal”, tendo realçado os “difíceis acessos” e a “importante presença de 10 meios aéreos” no combate às chamas naquela localidade da União de Freguesias de São Facundo e Vale das Mós.

O operacional disse ainda à Lusa que chegaram a estar “várias casas em perigo”, pela proximidade das chamas, dando conta que “as habitações foram defendidas e o incêndio passou perto sem causar quaisquer danos humanos ou patrimoniais”.

Cerca das 20h30, segundo a página da Proteção Civil, estavam no local 160 operacionais, apoiados por 46 viaturas e um meio aéreo.