A Koenigsegg é um daqueles fabricantes que vive para ofuscar os grandes fabricantes. Apesar de uma produção anual reduzida, o construtor sueco bate em inovação e capacidade tecnológica a maioria dos seus rivais. A ousadia de conceber um hiperdesportivo sem caixa de velocidade (Regera) é disso um exemplo, como o é também a capacidade produzir o Gemera, um híbrido com 1724 cv, uma autonomia total de 1000 km e 50 km em modo eléctrico.

10 fotos

É precisamente este Gemera, a sua criação mais recente, que a Koenigsegg vai expor no Salon Privé, um evento que já vai na 15ª edição e que decorre entre 23 e 26 de Setembro nos jardins do palácio Blenheim, no Reino Unido. Este ano a prometer cumprir com as restrições em vigor no país, devido à Covid-19.

O Gemera não é apenas um híbrido, isto apesar de efectivamente ter um motor desenvolvido pela Koenigsegg com 2 litros, dois turbocompressores e três cilindros, capaz de debitar 608 cv. Mas o construtor sueco não se limitou a conceber um motor pequeno mas potente, tornando-o ainda eficiente para ser económico. A unidade motriz não tem árvore de cames, mas sim actuadores pneumáticos, trabalhando ainda segundo o ciclo Miller, para reduzir as perdas mecânicas, o que reforça com a capacidade de desligar cilindros, assegurar lubrificação por cárter seco e pesar somente 70kg.

6 fotos

A este impressionante motor de combustão, a Koenigsegg alia três motores eléctricos, um que está instalado à frente, com 406 cv, enquanto os restantes dois estão associados a cada uma das rodas posteriores, fornecendo 507 cv cada. Os motores eléctricos são alimentados por uma bateria com somente 15 kWh, integrada num sistema a 800V que, segundo o fabricante, é suficiente para garantir uma autonomia em modo eléctrico de 50 km, com os 71 litros do depósito a serem capazes de alimentar a mecânica a funcionar de forma híbrida durante os adicionais 950 km. No total são 1724 cv, uma velocidade máxima de 400 km/h, a capacidade de superar 100 km/h em 1,9 segundos e um sistema de tracção integral.

16 fotos

Mais do que as proezas da mecânica, o Gemera impressiona ainda pela facilidade com que acolhe no seu interior quatro adultos, mesmo de grande estatura, com acesso fácil ao habitáculo graças às enormes portas de abertura vertical, existindo depois espaço na bagageira anterior para uma mala de viagem generosa, para as restantes três malas terem lugar na bagageira traseira. Isto é algo nunca visto num hiperdesportivo, em termos de versatilidade e de espaço.