Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O FC Porto chegou a acordo com o Wolverhampton este sábado para a venda do Fábio Silva por 40 milhões de euros, num negócio intermediado por Jorge Mendes. Vai ser o nono português do Wolverhampton treinado por Nuno Espírito Santo depois de Rui Patrício, Rúben Vinagre, Bruno Jordão, Rúben Neves, João Moutinho, Pedro Neto, Diogo Jota e Daniel Podence. O negócio foi confirmado à CMVM esta tarde pelos azuis e brancos.

“É sempre bom entrar na história”. O menino Fábio entrou, jogou dez minutos e bateu recordes de Rúben Neves, Fernando Gomes e Paulo Futre

“A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD, nos termos do artigo 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, vem informar o mercado que chegou a um acordo com o Wolverhampton para a cedência, a título definitivo, dos direitos de inscrição desportiva do jogador profissional de futebol Fábio Silva pelo valor de 40.000.000 € (quarenta milhões de euros)”, avançou na comunicação enviada este sábado à CMVM.

Ganharam a Youth League, subiram e são campeões: as virtudes dos sete jovens que mostraram que a formação não é pecado

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Fábio Silva foi um dos campeões europeus da Youth League em 2019 promovidos por Sérgio Conceição à equipa principal. O FC Porto pretende fazer um total de 75 milhões com três jovens campeões europeus do ano passado e, depois da venda do jovem avançado de 18 anos, ainda poderão deixar o Dragão este verão Diogo Leite e Tomás Esteves. O central esteve muito perto de ficar fechado com o Valencia mas os problemas financeiros dos espanhóis e a convulsão interna que se faz sentir no clube acabaram por abortar a operação.

De registar que esta é a quinta maior venda de sempre do FC Porto depois de Hulk, Éder Militão, James Rodríguez e Mangala, igualando a venda de Falcao. Fábio Silva superou também os 38 milhões pagos pelo AC Milan por André Silva, o último avançado formado nos dragões que tinha sido vendido pelos azuis e brancos.

“Oh meu Porto, onde a eterna mocidade diz à gente o que é ser nobre e leal. O azul e branco corre-me nas veias. Corre agora e sempre correrá. O amor a este clube, a esta forma de vida, são parte intriínseca de mim, desde sempre e para sempre. As vitórias, as alegrias e, sobretudo, aqueles valores que representam uma cidade, foram sempre vividos intensamente. Este caminho foi construído pela entrega, pela dedicação, por amor e audácia… A autêntica audácia das gentes do Porto… E que ninguém se atreva a sufocar o grito audaz de todas as suas gentes!”, comentou na despedida o jogador que na última época fez 790 minutos em 24 jogos com três golos.

“O meu mais sincero obrigado à estrutura do Porto, a todos os meus colegas, e a cada um de vocês, que vibram em cada ação, e que soltam em uníssono, um grito por todos nós. Não é um ‘Adeus’, é um ‘Até já’. Um ‘Até já’ difícil mas repleto de gratidão e esperança. Esperança por regressar e voltar a escrever o meu nome na história deste clube. Para sempre Dragão… Azul e branco é o coração!!!”, acrescentou Fábio Silva.

“Temos vindo a seguir o desenvolvimento do Fábio há muito tempo. É um jogador que só precisa de minutos para mostrar o seu talento natural. Nos últimos anos, o Fábio desenvolveu o seu futebol muito rapidamente e provou que é um jogador de equipa principal. O nosso treinador acredita que é uma contratação importante e que vai jogar na equipa imediatamente. O timing do negócio é similar ao do Rúben Neves. Esperámos pelo momento certo para conseguir um jogador de topo ao preço certo. Observamos o Fábio desde que jogava nos Sub-16 de Portugal e sentimos que era o melhor número 9 daquela idade a jogar na Europa”, explicou Jeff Shi, presidente executivo do Wolverhampton, em declarações prestadas aos meios de informação do clube inglês.