Um dia, dois reforços: de uma assentada, o Tottenham confirmou o regresso de Gareth Bale a Londres e a contratação de Reguilón, lateral esquerdo que também pertencia aos quadros do Real Madrid mas que estava emprestado ao Sevilha. O avançado galês volta assim aos spurs e à capital inglesa sete anos depois de ter saído os merengues e coloca um ponto final numa novela que durava desde há duas épocas.

José Mourinho, que perdeu na primeira jornada da Premier League com o Everton mas conseguiu o apuramento para a terceira pré-eliminatória da Liga Europa a meio da semana, recebe assim o quarto e o quinto reforços desta janela de mercado: depois do guarda-redes Joe Hart, que veio do Burnley, o médio Højbjerg, ex-Southampton, e o lateral direito Matt Doherty, que estava às ordens de Nuno Espírito Santo no Wolverhampton. Em Bale, o Tottenham descobre mais uma solução ofensiva para aliar a Son, Kane e Bergwijn; em Reguilón, os spurs têm uma alternativa a Ben Davies, o capitão que foi o alvo de grande parte das críticas à equipa na época passada.

Gareth Bale, que à partida chega a Londres ainda a recuperar de uma lesão no joelho, despede-se do Real Madrid depois de sete temporadas, ainda que a última tenha já sido de total cisão entre as duas partes: o galês de 31 anos fez apenas 20 jogos em todas as competições e só marcou três golos, em rota de colisão com Zidane e sem qualquer interesse pelo clube, como demonstrou no dia em que quase adormeceu na bancada com a máscara nos olhos durante uma partida da retoma da liga espanhola. Em Espanha, porém, conquistou duas vezes a liga espanhola, uma vez a Taça do Rei, quatro vezes a Liga dos Campeões e três vezes o Mundial de Clubes. Regressa ao Tottenham, onde esteve de 2007 a 2013 depois de ter começado a carreira no Southampton e marcou 55 golos ao longo de 203 jogos em seis anos.

Já Reguilón, internacional espanhol de 23 anos, sai de Espanha pela primeira vez para aceitar o desafio do Tottenham. Formado no Real Madrid, fez apenas uma época na equipa principal dos merengues, em 2018/19, onde participou em 22 jogos: pelo meio, esteve emprestado ao Logroñés e depois ao Sevilha, na última época. Com Lopetegui, tornou-se o dono da esquerda da defesa e tinha lugar cativo no onze inicial, acabando por fazer parte do grupo que em agosto conquistou a Liga Europa ao bater o Inter Milão na final. Chega a Inglaterra com destino definido, a substituição de Ben Davies, e é provável que se torne a opção primordial de Mourinho para o lugar.