O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros português vai realizar uma visita de dois dias à Guiné-Bissau, com início na quarta-feira, para participar nas comemorações do aniversário da independência do país.

Augusto Santos Silva visitará a Guiné-Bissau nos dias 23 e 24 de setembro e, na deslocação, “participará nas cerimónias de comemoração da independência da Guiné-Bissau, manterá um encontro de trabalho com a ministra dos Negócios Estrangeiros, da Cooperação Internacional e Comunidades, Suzi Barbosa, e visitará um projeto de cooperação do Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materna e Infantil na Guiné-Bissau (PIMI II)”, segundo uma nota hoje divulgada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Para as 12h de quarta-feira está prevista uma visita de Augusto Santos Silva ao centro de saúde do Bairro Militar, em Bissau, onde irá inaugurar uma sala de ecografias e consultas de alto risco obstétrico, integrada no PIMI II, um programa da União Europeia, confinanciado pela Cooperação Portuguesa, através do Camões  Instituto da Cooperação e da Língua, e implementado pelo Instituto Marquês de Valle Flôr, pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pela organização não-governamental francesa EMI (Entraide Médicale Internationale).

Durante a parte da tarde, pelas 15h, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros deverá encontrar-se com Suzi Barbosa, sendo o encontro seguido por uma conferência de imprensa.

Na quinta-feira, Augusto Santos Silva participará nas cerimónias do Dia Nacional da Independência da República da Guiné-Bissau.

Na segunda-feira, fonte da Presidência guineense anunciou que também estarão presentes nas comemorações os presidentes da Mauritânia, Senegal, Nigéria, Burkina Faso e Togo.

As celebrações do Dia da Independência, proclamada em 24 de setembro de 1973, vão decorrer no estádio nacional, em Bissau, e, segundo o programa, o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, fará um discurso e entregará condecorações.

O programa inclui também a inauguração das avenidas com os nomes do Presidente do Senegal, Macky Sall, e do Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, e um almoço oficial para os chefes de Estado convidados, que devem deixar Bissau durante a tarde.

Umaro Sissoco Embaló termina as celebrações com um cocktail na Presidência guineense.

A Guiné-Bissau declarou unilateralmente em 24 de setembro de 1973. A declaração foi feita pelo antigo Presidente João Bernardo “Nino” Vieira.