O ministro da Cultura cabo-verdiano definiu esta quarta-feira o restauro do complexo industrial salineiro de Pedra de Lume, ilha do Sal, que prevê um museu dedicado à secular atividade, como uma obra “prioritária” do governo para o pós-pandemia de Covid-19.

Abraão Vicente, que se encontra de visita à ilha do Sal, esteve esta quarta-feira no antigo complexo salineiro e explicou que todo o projeto para aquele local está concluído e que a intervenção, que durará nove meses, prevê um investimento de 72 milhões de escudos (650 mil euros), que será proposto para ser incluído no Orçamento do Estado para 2021.

Para o ministro da Cultura e Indústrias Criativas, Cabo Verde “precisa de retomar a sua dinâmica turística anterior à pandemia” para poder “capitalizar, através do Fundo de Turismo, o valor de investimento para a reconstrução” do Complexo Industrial e Patrimonial das Salinas de Pedra de Lume.

O governante garantiu que o projeto já está incluído no pacote aprovado para o Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA), “de implementação imediata para o próximo ano, como um dos projetos prioritários”.

Implicará “o restauro não só do circuito do teleférico, mas também de um núcleo museológico e de um museu ligado à história do Sal”, apontou.

A histórica atividade das salinas de Pedra de Lume foi abandonada, restando alguns edifícios e a estrutura de um teleférico de transporte em avançado estado de degradação, mas ainda é ponto obrigatório de passagem para os turistas que visitam a ilha.

A atividade salineira na ilha remonta ao século XVIII, através da exploração da água do mar que se infiltra pela pedra porosa do terreno, e que se evapora com as altas temperaturas que ali se registam, conjunto que, associado à cratera da ilha, cria uma paisagem única.

A ilha do Sal — tal como a da Boa Vista — concentram a procura turística pelo arquipélago de Cabo Verde, mas a atividade, devido à pandemia de Covid-19, está parada desde meados de março, com a suspensão dos voos comerciais internacionais.

Para Abraão Vicente, o “relançamento” do turismo nestas duas ilhas necessita de “mais conteúdo e qualidade de conteúdo” nas respetivas ofertas, como é o caso da nova vida a dar ao Complexo Industrial e Patrimonial das Salinas de Pedra de Lume.

O membro do governo garantiu que o ministério está preparado para lançar a obra a concurso, já que todos os estudos e levantamentos técnicos estão concluídos, faltando apenas a respetiva dotação orçamental.

Para Abraão Vicente, esta visita ao complexo de Pedra de Lume serviu precisamente para demonstrar a “necessidade de priorizar esta obra para o pós-Covid”, já no Orçamento do Estado para 2021.