Espanha a vermelho total, Portugal entre o laranja e o vermelho claro (menos Lisboa, que está igual aos vizinhos ibéricos) — é esta a forma como o novo “mapa semáforo” da União Europeia para o controlo da pandemia pinta a situação atual na Península Ibérica.

É com base neste registo feito pela European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) que foi divulgado esta sexta-feira que os países da União Europeia decidirão sobre as restrições de viagens que vão ou não ser aplicadas nos próximos tempos. Os códigos de cores especificam que quando um país ou região excede uma taxa de infeção superior ou igual a 240 casos por 100 mil habitantes recebe a cor vermelha escura. Quando esse valor desce ligeiramente e encaixa numa margem entre os 120 e os 239 casos por 100 mil habitantes, a cor passa para laranja escuro; surge depois o laranja entre os 60 e os 119 casos por 100 mil habitantes; o laranja claro entre os 20 e os 59 por 100 mil habitantes; e o amarelo se o numero for igual ou inferior a 20 casos por 100 mil habitantes (não havendo qualquer caso a reportar, a cor é o azul).

O diário espanhol ABC explica que este mapa será atualizado semanalmente pelo ECDC com os dados enviados por cada país e toda a informação reunida deverá ser utilizada para que cada país possa tomar medidas concretas e informadas sobre os viajantes que permite ou não transitar dentro e fora dos seus limites geográficos. A circulação entre as zonas verdes poderão ser feitas sem entraves e com toda a normalidade enquanto as medidas a adotar para quem chega de zonas laranja ou vermelhas vão depender de cada país — embora se espere que haja o máximo de convergência de critérios. O mapa também não pretende prejudicar as medidas que cada governo toma por sua iniciativa como os confinamentos ou o encerramento de determinados tipos de estabelecimentos, por exemplo.

A União Europeia está a estudar este modelo que poderá ser adotado já na próxima semana. Ele pretende funcionar como mecanismo conjunto para tentar fazer sobreviver à pandemia o princípio da livre circulação e acabar com a falta de coordenação nas decisões de cada país sobre restrições de viagens e/ou quarentenas. A ideia foi sugerida pela presidência alemã, tendo sido baseada no que a Comissão Europeia propôs há cerca de um mês.  A utilização deste mapa parece já ser praticamente certa mas só na próxima terça-feira é que será aprovada (ou não) formalmente pelo Conselho de Ministros dos Assuntos Gerais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Artigo atualizado às 22h23 com a introdução do mapa mais recente, o que estava inicialmente já se encontrava desatualizado.