O ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy, foi indiciado por associação criminosa, além de corrupção, dissimulação de desvio de fundos públicos líbios e financiamento ilícito de campanha no caso que investiga as suspeitas de financiamento líbio da sua campanha presidencial de 2007, segundo o Le Monde.

Na semana passada, Sarkozy tinha sido ouvido, em Paris, pelos juízes responsáveis pela investigação. Não era ouvido no processo desde junho de 2019. Nessa altura, o ex-chefe de Estado declarou-se “totalmente inocente”.

A investigação remonta a 2012, após a divulgação pelo jornal Mediapart de um documento que indiciava um financiamento da campanha de Nicolas Sarkozy pelo regime do ex-Presidente líbio Muhammar Kadafi.

Numa reação publicada no Facebook, o ex-chefe de Estado diz que recebeu com “estupefação” esta “nova acusação”. “A minha inocência é novamente colocada em causa por uma decisão que não é baseada em nenhuma prova de nenhum financiamento ilegal”, escreveu.

J’ai appris cette nouvelle mise en examen avec la plus grande stupéfaction. Voici donc franchie une nouvelle étape dans…

Posted by Nicolas Sarkozy on Friday, October 16, 2020