A chanceler alemã Angela Merkel confirmou que a Alemanha vai entrar em confinamento parcial a partir de 2 de novembro, noticia a Reuters. A decisão foi tomada depois da reunião com os 16 líderes regionais, porque as medidas a nível da saúde são, normalmente, tomadas por cada um dos estados de forma independente.

Alemanha vai impor confinamento parcial durante um mês. Bares, cinemas, ginásios devem fechar

A partir da próxima semana, estarão encerrados bares e restaurantes, assim como espaços de lazer, oferta cultural e espetáculos desportivos em espaço fechado, noticia o jornal El País. Os contactos sociais devem, igualmente, ser limitados ao mínimo indispensável. No entanto, a chanceler prevê manter aberto o comércio e estabelecimentos de ensino sempre que seja possível.

Temos de agir e temos de agir agora — para evitar uma emergência nacional de saúde”, diz Angela Merkel, citada pela Reuters.

Esta primeira linha de defesa, as autoridades de saúde locais, foram um dos motivos do sucesso do país no controlo da primeira onda da pandemia, com a Alemanha a registar menos mortos do que a maior parte dos países vizinhos, noticia o Financial Times. Apesar de terem um sistema de rastreamento de contactos bem implementado, estão, neste momento, completamente assoberbados.

Estamos numa situação muito grave”, diz a chanceler alemã.

As medidas vão ser aplicadas em todo o país durante um mês e serão revistas ao fim de duas semanas. Merkel justifica as medidas com a duplicação do número de doentes Covid-19 em cuidados intensivos nos últimos 10 dias e com o facto de estarem a conseguir rastrear 75% das infeções.

Haverá um apoio de 10 mil milhões de euros para os negócios que tenham de encerrar e que compensará 75% das receitas que teriam, noticia a Reuters.

Nas últimas 24 horas a Alemanha registou 14.964 novas infeções e 85 óbitos provocados pela Covid-19, segundo os dados do Instituto Robert Koch. A Alemanha soma agora 449.275 casos e 10.098 mortes por Covid-19, desde que o vírus atingiu o país.