Milhares de pessoas concentraram-se nas arribas da praia do Norte, na Nazaré, depois de ter sido anunciado nas redes sociais que se esperavam ondas gigantes para esta quinta-feira e de o IPMA ter colocado Leiria em alerta laranja devido à agitação marítima. As ondas podem chegar aos 10/11 metros.

Devido à situação pandémica, a Câmara e a Capitania da Nazaré decidiram cortar o acesso pedonal à estrada do Farol, para conter a excessiva concentração de público que assiste às ondas gigantes e garantir condições de segurança, informou o capitão do Porto.

O acesso pedonal vai ser proibido e vamos apelar à dispersão das pessoas concentradas junto ao Forte de S. Miguel para tentar reduzir os aglomerados”, disse à agência Lusa o comandante do Porto da Nazaré (distrito de Leiria), Zeferino Henriques.

O cenário “atrai muitos surfistas estrangeiros e portugueses para surfar na praia do Norte, e simultaneamente pessoas de vários países que se deslocam para assistir”, afirmou o presidente da Câmara da Nazaré, Walter Chicharro.

O autarca nazareno reconhece as dificuldades: assistir às ondas “não é um evento, que depende de autorizações e normas das entidades de saúde”. Por outro lado, “é complicado, mesmo do ponto de vista legal, condicionar a circulação de pessoas, porque nem o país, nem a Nazaré estão fechados”, acrescentou Walter Chicharro.