A justiça espanhola vai arquivar a investigação ao rei emérito Juan Carlos, por alegados crimes fiscais e branqueamento de capitais. A notícia está a ser avançada pelo jornal espanhol “El Confidencial“, que cita fontes judiciais.

Essas mesmas fontes explicaram que na altura em que aconteceram as irregularidades de que Juan Carlos é suspeito, em 2011, o monarca ainda não tinha abdicado do trono. Por isso, gozava nessa altura de uma prerrogativa constitucional de imunidade, ou seja, estando livre de qualquer responsabilidade penal.

Juan Carlos e o esquema dos 100 milhões. As provas que o banco suíço tirou do cofre

As suspeitas apontam que o agora rei emérito estaria implicado na gestão de uma offshore através da qual terá ocultado quase 65 milhões de euros, um montante que o antigo monarca é suspeito de ter desviado para o rei da Arábia Saudita.

Escândalos de Juan Carlos. Como é que o rei da democracia caiu em desgraça?