O jornal El Español divulgou esta segunda-feira dois documentos que comprovam a transferência de 100 milhões de dólares, o equivalente a 65 milhões de euros, proveniente do Ministério das Finanças da Arábia Saudita, para Juan Carlos. A transação teve lugar em 2008 e a quantia teve como destino uma conta do então rei de Espanha no Banco Mirabaud, uma instituição de banca privada com sede em Genebra, na Suíça.

Só agora é que os detalhes da transferência, bem como da abertura da conta, viram a luz do dia, na sequência de uma investigação daquele diário espanhol, que tem vindo a trazer a lume revelações como esta. Nos referidos documentos, a transferência surge classificada como “montante enviado pelo rei Abdalla da Arábia Saudita como presente a outras monarquias, de acordo com a tradição saudita”.

De acordo com o El Español, apenas os administradores do banco suíço tinham acesso à documentação relativa à abertura dessa conta (o segundo documento em questão), no dia 6 de agosto de 2008. Mantido em segredo, fechado num cofre ao qual apenas a administração tinha acesso, o relatório onde consta o nome do rei emérito de Espanha inclui também o estado civil do beneficiário da fundação — casado –, bem como a morada — Palácio da Zarzuela, Madrid”. Segundo os testemunhos prestados, o departamento jurídico do banco nunca foi informado da identidade do beneficiário.

100 milhões como manda a “tradição saudita”

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.