A BBC está a investigar a histórica e polémica entrevista feita em 1995 à princesa Diana, depois de terem surgido suspeitas de que o jornalista que a realizou, Martin Bashir, poderia ter usado documentos falsos de modo a convencer a princesa a conceder a entrevista.

Foi durante aquela entrevista, emitida em 20 de novembro de 1995, que Diana proferiu a famosa frase: “Bem, éramos três no casamento, era uma multidão“. A princesa referia-se ao caso amoroso do seu marido, o príncipe Carlos, com Camilla Parker Bowles, atual esposa do herdeiro do trono inglês.

Diana e Carlos acabariam por formalizar o divórcio no ano seguinte.

A entrevista teve 23 milhões de espectadores e é, ainda hoje, o programa de não-ficção mais visto da história da televisão britânica.

No mês em que se completam 25 anos desde a histórica entrevista, a polémica reacendeu-se com uma carta enviada pelo irmão da princesa Diana, Charles Spencer, à BBC com uma série de acusações relativas à alegada desonestidade do jornalista Martin Bashir.

O conteúdo da carta foi tornado público pelo tablóide Daily Mail.

De acordo com Charles Spencer, o jornalista teria usado um conjunto de documentos falsos, incluindo comprovativos de transferências bancárias, que mostravam alegados pagamentos feitos a membros da Casa Real pelos serviços de segurança e que seriam a prova de que a princesa Diana estava sob vigilância permanente.

As suspeitas que se levantam não são de agora e já em 1996 tinham surgido alegações semelhantes sobre os documentos supostamente falsos usados por Martin Bashir. Porém, esta nova investida de Charles Spencer voltou a colocar a entrevista no centro da polémica.

Na sequência da carta de Charles Spencer, a atual liderança da BBC comprometeu-se a lançar uma investigação independente aos factos em torno da entrevista. O diretor-geral da BBC, Tim Davie, disse que a estação está a “levar isto muito a sério” e sublinhou que pretende “chegar à verdade“.

A BBC nomeou o lorde John Dyson, juiz e antigo membro do Supremo Tribunal britânico, para liderar a investigação independente.

Foi há 20 anos. Afinal, o que falta saber sobre Diana, a princesa do povo?

De acordo com um porta-voz da BBC citado pelo The Guardian, a estação encontrou uma prova fundamental para a investigação: uma nota escrita por Diana na qual a princesa deixava claro não ter visto os documentos falsos, que não teriam assim contribuído para a sua decisão de aceitar dar a entrevista. Contudo, a BBC não revelou a nota nem citou o seu conteúdo.

Já esta semana, o príncipe William — filho de Diana e segundo na linha de sucessão do trono britânico — elogiou a decisão da BBC de lançar uma investigação.

“A investigação independente é um passo na direção certa”, afirmou William num comunicado. “Deverá ajudar a perceber a verdade por trás das ações que levaram à entrevista do Panorama e as subsequentes decisões tomadas por quem estava na BBC na altura.

O jornalista Martin Bashir foi recentemente operado ao coração e encontra-se a recuperar de complicações de saúde na sequência de ter contraído Covid-19, pelo que não se pronunciou ainda publicamente sobre o assunto e continua indisponível para prestar declarações à investigação. Atualmente, Bashir é editor de religião da BBC.

A transcrição completa da entrevista de 1995 pode ser lida aqui.