481kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Boletim DGS. Portugal com maior número de casos de Covid-19 desde 26 de novembro

Este artigo tem mais de 1 ano

Este sábado, foram confirmados 6.087 infeções pelo novo coronavírus em Portugal. O número é o mais elevado desde 26 de novembro. Região Norte permanece a mais afetada. Óbitos desceram.

Hospital de S. João, no Porto
i

A região Norte voltou a registar o maior número de casos e de mortes no país

SOPA Images/LightRocket via Gett

A região Norte voltou a registar o maior número de casos e de mortes no país

SOPA Images/LightRocket via Gett

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois da descida registada a partir de 27 de novembro, os casos de Covid-19 em Portugal voltaram a subir. Este sábado, foram anunciados 6.087 infeções pelo novo coronavírus. O número é o mais alto desde 26 de novembro, a última vez que foram registados mais de seis mil casos (6.383). Trata-se, portanto, de uma subida significativa em relação a esta sexta-feira (23,3%), quando o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a situação epidemiológica no país deu conta de novos 4.935 casos.

O Norte permanece a região mais afetada pela Covid-19, com três mil dos mais de seis mil casos confirmados (49,2% do total). Apesar disso, de acordo com os dados do relatório da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte), consultado pela Agência Lusa, houve uma diminuição de casos em todos os distritos abrangidos pela ARS-Norte entre as semanas de 19 a 25 de novembro e de 26 de novembro a 2 de dezembro. A maior descida foi no distrito de Bragança (menos 45%), onde fica o concelho com maior número de casos por 100 mil habitantes (Freixo de Espada a Cinta).

Lisboa e Vale do Tejo surge em segundo lugar no boletim da DGS, com 1.980 dos novos casos (33% do total). O Centro tem mais 866 infeções pelo novo coronavírus e Alentejo e Algarve registaram 106 e 88 casos, respetivamente. Nos Açores, há mais 27 casos e, na Madeira, 20.

Número de mortes desce em relação a sexta-feira. Norte com 60% dos óbitos

Este sábado, foram também confirmadas 73 mortes devido ao novo coronavírus. O número é inferior ao desta sexta-feira, quando foram anunciados 79 óbitos, o mesmo valor de quinta-feira. Até ao momento, morreram 4.876 pessoas em Portugal devido à pandemia.

O Norte foi a região onde se registou a maioria dos óbitos (60%), com 43 dos 73 indicados pela DGS. Em Lisboa, morreram 20 doentes com Covid-19 nas últimas 24 horas. O Centro teve oito mortes e Alentejo e Algarve uma. Nas ilhas não houve novos óbitos a registar.

Internamentos descem pelo terceiro dia consecutivo. Número de casos ativos também caiu

O número de pessoas internadas desceu pelo terceiro dia consecutivo. Depois de nesta sexta-feira terem tido alta 35 doentes, este sábado foram anunciados menos 66 internamentos em enfermaria. Ao todo, existem 3.229 doentes com Covid-19 internados.Este é o valor mais baixo desde 29 de novembro, quando havia 3.245 internados.

As boas notícias também abrangem as unidades de cuidados intensivos (UCI): este sábado, há menos nove pessoas nestas unidades. Ao todos, são agora 517 os doentes com Covid-19 em UCI. O número de casos ativos também desceu (são menos 151, num total de 73.561), assim como os casos em vigilância (menos 446, num total de 77.197).

Ainda segundo o boletim da DGS, nas últimas 24 horas, foram dados como recuperados 6.165 doentes. Desde o início da pandemia, já recuperaram da Covid-19 240.203 pessoas.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.