“Pela primeira vez”, vai aventurar-se a preparar “doces típicos de Natal”. As refeições que costumavam reunir “mais de 30 pessoas” serão substituídas por uma videochamada. Mas as filhoses não vão faltar — e serão entregues à porta. Num testemunho por escrito enviado ao Observador, a ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, relata o Natal “muito diferente do habitual“, passado em isolamento profilático depois de ter estado em contacto com um caso positivo.

Ao Observador, Ana Mendes Godinho conta que a ceia de Natal costuma ser passada em Tomar e o almoço em Torres Vedras “com mais de 30 pessoas, entre avós, irmãos, tios e primos”. Este ano, devido à pandemia, e ao isolamento profilático, “passaremos os cinco em casa, confinados” (Ana Mendes Godinho tem três filhos).

Ministra do Trabalho e Segurança Social está em isolamento profilático

“Faremos a ceia e o almoço de Natal em casa com as compras que encomendámos. Uma tia vem deixar-nos à porta as filhoses que costuma sempre fazer. Pela primeira vez vou tentar fazer uns doces típicos de Natal. Falaremos com a família através de videoconferência”, relata.

A ministra diz ainda que vai ligar “para a linha de voluntários Voz Solidária (962 171 780, www.vozsolidaria.pt) para dar a minha voz a quem estiver mais só”.

Apesar de ter testado negativo, Ana Mendes Godinho ficará em isolamento até 1 de janeiro “em cumprimento das indicações da autoridade de Saúde”, informou o Ministério. Segundo o Correio da Manhã, foi a filha da ministra que testou positivo.