Tinta de cabelo a escorrer numa conferência de imprensa, enganos no Twitter, histórias mal contadas. Rudy Giuliani tem um historial de gaffes considerável. E há mais uma para juntar à lista. Na quarta-feira, o advogado de Donald Trump ligou para Tommy Tuberville, senador do Alabama, para tentar atrasar a contagem de votos no Colégio Eleitoral. No entanto, Giuliani deixou uma mensagem de voz no número errado — e a gravação foi partilhada pelo The Dispatch.

Quero discutir contigo como estão a tentar a apressar a audiência [do Colégio Eleitoral] e como precisamos de vocês, amigos republicanos, […] para tentar desacelerar [o processo] para conseguirmos que os legisladores te deem mais informação”, diz Giuliani pelo que se consegue ouvir na gravação.

A “estratégia” que o advogado de Donald Trump queria utilizar para o efeito seria “criar objeções [aos resultados de] inúmeros estados e levantar problemas para conseguirmos adiarmos até amanhã — idealmente até o final do dia de amanhã [esta quinta-feira]”. A contagem de votos começaria às 20h00 desta quarta-feira (hora local) — mas acabou adiada, quando apoiantes de Donald Trump invadiram o Capitólio.

Para além disso, o advogado queria contestar os resultados não de três estados, como Mitch McConnell (líder da maioria republicana no Senado) sugerira, mas de dez estados. Para isso, o senador do Alabama teria de “criar objeções a cada um desses estados e, juntamente com um congressista, conseguir uma audição de cada estado”.

Rudy Giuliani aproveitou ainda para criticar Mitch McConnell, porque estaria “a fazer tudo o que pode para apressar [a contagem de votos]”, o que seria “um pontapé na cabeça”.

O advogado do Presidente norte-americano cessante ainda em funções tem resistido a aceitar os resultados das últimas eleições presidenciais. Num comício sugeriu que “as máquinas de votos estavam aldrabadas” e que “os boletins de votos eram fraudulentos”.

“Então se me ligares para este número de telemóvel estou disponível toda a noite, seria uma honra falar contigo”, despediu-se Giuliani. E todos tiveram a oportunidade de a conseguir escutar.