No primeiro dia para pedir voto antecipado em mobilidade registou-se um total de 52.994 inscrições, confirmou ao Observador fonte oficial do Ministério da Administração Interna.

Tal significa que houve mais inscrições no primeiro dia, para realizar o voto antecipado a 17 de janeiro, do que o total de votos antecipados para a Assembleia da República em 2019 — nas últimas legislativas 50.638 eleitores votaram antecipadamente, uma semana antes das eleições.

Até às 18h de domingo, 20.248 eleitores tinham requerido o voto antecipado, mais do que tinha sido pedido nas eleições europeias de 2019, afirmou o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na apresentação das medidas da administração eleitoral para as presidenciais, que este ano decorrem em plena pandemia de Covid-19. Esse número mais do que duplicou até às 00h, com perto de 53 mil pedidos.

Presidenciais: Voto antecipado em mobilidade pode ser pedido a partir de domingo

Os portugueses que não puderem votar nas presidenciais em 24 de janeiro podem pedir, a partir de domingo, para exercer o seu direito de voto uma semana antes, numa mesa de voto à escolha. O voto antecipado em mobilidade foi alargado por lei aprovada no parlamento e pode ser feito na sede de cada um dos 308 concelhos do país, em vez da sede do distrito, como aconteceu nas eleições legislativas de 2019.

O que muda nas eleições presidenciais por causa da pandemia? Três novas regras

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Assim, quem quiser antecipar o seu voto para 17 de janeiro, numa qualquer câmara municipal, em vez do dia 24 na mesa de voto onde está inscrito, tem de o fazer entre domingo e quinta-feira. O pedido pode ser feito por via eletrónica junto do Ministério da Administração Interna no “site” www.votoantecipado.mai.gov.pt ou através de correio normal.