Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não é a passadeira vermelha dos Óscares, mas espera-se que, no dia em que um novo presidente dos Estados Unidos toma posse, a escolha da indumentária seja irrepreensível e, se possível, com uma mensagem nas entrelinhas, neste caso, nas costuras.

Neste campeonato, a nova primeira-dama deixou a tarefa nas mãos de Kamala Harris, ela que há pouco mais de uma semana protagonizava a capa da Vogue e dava que falar, mas não pelos melhores motivos. Para a vice-presidente recém-empossada, a moda é um terreno bem mais familiar do que para Jill, cuja visual clássico e seguro já era de prever. Mas Harris fez da sua passagem pela cerimónia desta quarta-feira um statement político e social ao escolher um designer negro para criar o vestido e casaco, ambos em roxo, com que se tornou a primeira mulher a ocupar a vice-presidência dos Estados Unidos.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.