O surto de covid-19 no lar da Santa Casa da Misericórdia de Aljustrel, distrito de Beja, regista mais oito infetados, num total de 49 pessoas, depois de nova testagem realizada a utentes e funcionários, revelou este sábado o provedor da instituição.

Segundo disse à agência Lusa Manuel Frederico, após a primeira testagem, no dia 20, os utentes e funcionários que tinham testado negativo ao coronavírus SARS-CoV-2 voltaram a fazer o teste no dia 27, tendo sido identificados mais sete utentes infetados, passando para um total de 38.

Foi igualmente identificado mais um caso positivo entre os funcionários, passando a um total de 11.

Segundo Manuel Frederico, com exceção de uma idosa que está internada no hospital de Beja, todos os utentes e funcionários “encontram-se bem”, estando na sua maioria “assintomáticos ou apresentando apenas sintomas ligeiros”.

O surto no lar de Aljustrel foi detetado após duas funcionárias terem testado positivo, no dia 15, durante os testes regulares semanais à covid-19 feitos aos funcionários da instituição.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na sequência, foram testados todos os idosos e funcionários da infraestrutura, tendo sido identificados 32 casos positivos entre os utentes – um deles morreu – e mais 10 entre funcionários.

Entretanto, a Câmara de Aljustrel atribuiu um “subsídio extraordinário” à Misericórdia para a contratação de uma equipa “composta por três profissionais”, todos “com categoria profissional de cuidador”, para auxiliar o lar.

A estes juntam-se mais cinco funcionários da Cruz Vermelha Portuguesa, que estão no lar de Aljustrel por intermédio da Segurança Social, que a Misericórdia contactou “com o intuito de reforçar ainda mais” os seus meios humanos, explicou Manuel Frederico.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.191.865 mortos resultantes de mais de 101 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.886 pessoas dos 698.583 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.