Na antecâmara da partida para a Grécia, onde defronta esta quinta-feira (17h55) o Arsenal na segunda mão dos 16 avos da Liga Europa, Jorge Jesus “explodiu” na conferência de imprensa onde a questão do jogo com os ingleses foi assunto secundário ou quase inexistente. O técnico voltou a reforçar o impacto do surto de Covid-19 na equipa para abordar os resultados desportivos, recusou qualquer responsabilidade pelo rendimento aquém do esperado pela mesma justificação e pediu também o apoio dos adeptos em vez de manifestações de contestação. Ainda assim, o dia das águias, em véspera de um dos jogos mais importantes da época, foi tudo menos calmo.

“Esta crise do Benfica não tem nada a ver comigo, nem com os jogadores, nem com o presidente”, destaca Jesus

Conforme prometido, num movimento que tinha sido marcado uns dias antes através das redes sociais, houve um buzinão na zona do estádio, perto da rotunda Cosme Damião, com várias dezenas de carros a marcarem presença no local onde estava também um dispositivo policial para que o trânsito fosse sendo escoado, tendo mesmo sido feitas algumas identificações por parte das autoridades aos condutores que por ali passavam, num protesto contra a Direção dos encarnados liderada por Luís Filipe Vieira que durou dez a 15 minutos.

Mais tarde, essa contestação fez-se sentir através de tarjas colocadas nas imediações do Estádio da Luz, tal como tem acontecido nos últimos dias, desta vez não apenas contra Vieira, que foi reeleito no final de setembro para um sexto mandato, mas visando também o próprio Jorge Jesus, na sequência da conferência de imprensa que fizera ao início da tarde. “62% votaram no bicho que vos mata”, “A nossa pandemia é faltar Benfica ou Benfica” e “Queres carinho? Levaste com um PAOK?” foram as frases inscritas nas tarjas que correram nas redes sociais.

Benfica. Adeptos reunem-se para buzinão de protesto junto ao Estádio da Luz

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pelo meio, a questão do treinador, numa outra perspetiva. Já depois de o jornal Corriere dello Sport ter falado no interesse dos encarnados em Paulo Fonseca, sem revelar pormenores de possíveis abordagens (de recordar que o técnico acaba contrato no final da temporada mas tem algumas cláusulas por objetivos que valem uma renovação automática), o site brasileiro UOL revelou que o Atl. Mineiro fez um contacto com Bruno Macedo, empresário de Jorge Jesus, no sentido de perceber a disponibilidade do técnico para voltar ao Brasil, algo que foi declinado pelo agente. Marcos Braz, vice do Flamengo, também recusou a possibilidade de um regresso do português.

Por fim, e no seguimento da goleada em Londres do Tottenham frente ao Wolfsberger por 4-0 com dois golos de Carlos Vinícius, as redes sociais do avançado brasileiro foram “invadidas” com comentários de adeptos do Benfica pedindo o regresso à Luz, até depois de Jorge Jesus ter admitido que um dos pontos que estava a faltar à equipa era um jogador que conseguisse materializar o caudal ofensivo que a equipa tem criado. Apesar da pouca utilização na Premier League, com 160 minutos em seis jogos “tapado” por Kane num sistema que só prevê uma referência ofensiva, o dianteiro cedido pelas águias tem aproveitado bem as oportunidades de Mourinho na Liga Europa e na Taça de Inglaterra, competições onde fez no total dez jogos com 630 minutos e marcou nove golos.

Foi neste contexto que, a poucas horas do início do jogo, Jorge Jesus deixou também uma mensagem no Instagram, apenas a terceira em 2021 depois de assinalar o regresso à Amadora quando jogou com o Estrela para a Taça de Portugal e quando voltou aos treinos após ter superado a Covid-19. “Voltei a treinar com todos os meus jogadores. Estou super feliz”, escreveu o técnico, acompanhando um vídeo com imagens do treino.