Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A partir desta sexta-feira, está disponível a ferramenta “Pensão na Hora”, que permite ter acesso ao cálculo do valor da pensão antes de iniciar o pedido. Caso decida avançar com o processo, este será automaticamente deferido num prazo máximo de 24 horas. A ferramenta pode ser usada através da Segurança Social Direta.

Em comunicado, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social adianta que a ferramenta permite ao futuro pensionista ter acesso aos anos de descontos e ao valor bruto estimado da pensão. Se concordar com o montante, pode avançar com o pedido de pensão.

A Segurança Social garante que, nos casos em que o requerente cumpre os requisitos de acesso à pensão provisória (cumprimento da idade da reforma, prazo de garantia ou inexistência de descontos no estrangeiro ou noutros regimes de pensões), “o processo será automaticamente deferido num prazo máximo de 24 horas“.

De acordo com o vídeo explicativo, a Segurança Social contacta o requerente através da caixa de mensagens da Segurança Social Direta. Além do valor da pensão, será comunicada a data em que se iniciará o pagamento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se o futuro pensionista não cumprir os requisitos de acesso à pensão provisória, “o pedido será posteriormente analisado pela Segurança Social, sendo possível acompanhar online a evolução do estado do pedido“.

Segundo o ministério, a ferramenta vai permitir “reduzir o número de pensões alvo de análise manual por parte da Segurança Social“, tornando “mais célere todo o processo”. No final de janeiro deste ano, e em comparação com 1 de fevereiro de 2020, os processos pendentes de pensões de velhice há mais de 90 dias diminuíram 75%, para cerca de cinco mil, aponta a tutela. Em janeiro de 2021 “foram despachados mais 11% de pedidos do que aqueles que entraram”.

A “Pensão na Hora” faz parte do Simplex. “Esta é uma mudança radical no processo de atribuição da pensão de velhice e é mais um passo fundamental para aprofundar a digitalização da Segurança Social”, afirma a ministra Ana Mendes Godinho.

Ferramenta para pedir a pensão na hora vai ficar disponível ainda em fevereiro