Rei morto, rei posto: depois da recusa da NOS em prolongar o contrato que mantinha com a Liga Portugal como patrocinador principal e naming sponsor do Campeonato desde 2014, a próxima edição da Primeira Liga terá o nome de Liga Bwin, na sequência do acordo alcançado entre o órgão e a Bet.pt. E, sem dados ou confirmações oficiais, tudo aponta para que seja o patrocínio mais elevado de sempre da principal competição nacional de futebol, acima do atual acordo e do que estava a ser negociado. No entanto, está longe de ser algo pacífico.

Oficial: NOS vai deixar de ser main sponsor da Primeira Liga (ou seja, há menos 70% de receita global)

Numa carta aberta enviada a todos os clubes, Panos Konstantopoulos, chefe de gabinete de marketing da Kaizen Gaming International que detém a marca internacional Betano, “uma das operadoras líderes do mercado de apostas no mercado português”, explica o processo de negociação e consequente afastamento da empresa das negociações para garantir a posição que será ocupada pela NOS até ao final da presente temporada desportiva.

“Recentemente envolvemo-nos em intensas e profundas discussões com representantes da Liga Portugal sobre os direitos de naming da Liga para os próximos quatro anos e, após extensivas e detalhadas comunicações, no dia 3 de março fomos informados de que a nossa oferta de 22 milhões de euros cumpria os requisitos para a categoria de naming sponsor e tinha sido, por isso, aceite (…) Fomos convidados pelos representantes da Liga Portugal para começar um rascunho de um Memorando de Entendimento que alinhavasse as condições comerciais acordadas, enviámos uma versão no dia 23 de março e foi-nos dito que deveríamos esperar pela versão final do mesmo, assinado, na semana depois da Páscoa (5 a 9 de abril)”, começa por explicar a carta.

Liga pode perder patrocínio da NOS depois de Pedro Proença sugerir jogos em sinal aberto

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“A 6 de abril, fomos convidados para uma chamada pelos representantes da Liga Portugal , que nos informaram de que, apesar de terem mantido discussões connosco desde setembro de 2020 e terem concordado com a nossa proposta comercial em março e redigido um Memorando de Entendimento, não poderia prosseguir com o acordo negociado e finalizado, devido ao facto de, alegadamente, outra empresa ter ativado uma cláusula contratual para o patrocínio do naming da competição (…) Enfatizámos claramente aos representantes da Liga Portugal que, caso se tratasse da matéria financeira, estaríamos dispostos a considerar o aumento da nossa proposta, apesar de terem aceitado a nossa oferta de 22 milhões de euros”, referiu, destacando que, logo no dia seguinte, a empresa ficou fora da mesa das negociações mesmo perante uma possível contraproposta.

Governo aprova centralização de direitos televisivos do futebol a partir de 2028/29

É neste contexto que a Betano se reserva a ativar “todos os direitos legais e interesses que decerto são suscitados pelo acordo negociado com a Liga Portugal e o comportamento dos seus representantes”, mantendo a tónica de que estará disposta a avançar com aquilo que estava a ser negociado (e fechado) com o órgão. Da parte da Liga Portugal, que irá apenas oficializar o acordo quando o mesmo estiver fechado “e em data oportuna”, não houve qualquer reação oficial à carta enviada aos clubes. Assim, fica a dúvida sobre a tal cláusula invocada pelo órgão para quebrar as negociações com a Betano, que poderá estar relacionada com um direito de preferência que exista para antigos naming sponsors da Liga Portugal, o que se enquadra no caso da Bwin.