O deputado do Partido Socialista (PS) António Gameiro é suspeito de corrupção no caso conhecido como “Operação Triângulo”, que na passada terça-feira levou à detenção de quatro pessoas, entre elas a presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, do Partido Social Democrata (PSD). Gameiro diz estar de “consciência tranquila”.

De acordo com o Expresso e a TVI, o deputado socialista pelo distrito de Santarém é suspeito de servir como intermediário na venda de um imóvel a uma empresa em Monte Gordo por valores abaixo dos de mercado.

A Polícia Judiciária fez buscas a duas casas de António Gameiro e ao escritório de advogados em que o deputado socialista é consultor, conforme avançaram inicialmente o Expresso e o jornal O Mirante . No âmbito da investigação, foi feito um pedido de levantamento da imunidade parlamentar do deputado, pedido esse que terá chegado à Assembleia da República logo na terça-feira, sendo expectável que a decisão possa ser tomada esta quarta-feira.

“Operação Triângulo”. Autarca de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, detida por corrupção

“Ontem [terça-feira], a Polícia Judiciária realizou buscas às minhas duas casas e ao escritório onde sou consultor, não tendo encontrado qualquer elemento de prova da prática de qualquer crime”, disse António Gameiro à agência Lusa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De qualquer forma estou disponível para que me seja levantada de imediato a imunidade parlamentar, para me poder defender e colaborar com a Justiça, uma vez que até agora não fui notificado desse pedido de levantamento”, acrescentou o deputado, que garante não desconhecer “os termos deste processo”.

“A minha única ligação a este processo é de natureza estritamente profissional, como consultor de um escritório de advogados”, garantiu Gameiro.

Na segunda-feira, o deputado socialista, que já foi presidente da distrital socialista de Santarém, tinha apresentado a sua candidatura à Câmara de Ourém nas próximas eleições autárquicas À agência Lusa, António Gameiro garantiu ainda que mantém as funções de deputado e que continua como candidato à Câmara de Ourém.

Na origem da “Operação Triângulo” está a venda de um terreno com cinco mil metros quadrados em Monte Gordo, avaliado em 5,6 milhões de euros, ao grupo imobiliário Saint Germain, do empresário Carlos de Matos. A proposta de venda do terreno foi aprovada em Assembleia Municipal em abril de 2020, com os votos a favor do PSD e votos contra do PS e da CDU, de acordo com a Lusa.

Os quatro detidos no âmbito da operação serão esta quarta-feira por interrogados por um tribunal de Évora.

[Notícia atualizada às 13h27 com as declarações de António Gameiro à Lusa]