251kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

R(t) baixa para 1, mas aumento dos internamentos por Covid-19 é o maior em dois meses

R(t) baixou para 1, mas incidência aumentou ligeiramente. Portugal recua para a zona verde da matriz. Internamentos sofrem o maior aumento dos últimos dois meses. Casos ativos continuam a diminuir.

i

A generalidade do país entrou esta segunda-feira na terceira fase de desconfinamento

AFP via Getty Images

A generalidade do país entrou esta segunda-feira na terceira fase de desconfinamento

AFP via Getty Images

O R(t), índice que indica quantas pessoas alguém infetado pode contagiar em média, foi calculado em 1 pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), tanto em todo o país, como contando apenas com Portugal Continental, revela o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O R(t) desceu desde a última atualização e pode indiciar uma estabilização dos casos. No boletim publicado no domingo passado, as autoridades de saúde apontavam para um R(t) nacional de 1,05 e de 1,04 apenas em Portugal Continental. Com um R(t) em 1, o número de novos casos tem tendência a estabilizar.

A incidência nacional é de 71,8 casos em 14 dias por 100 mil habitantes, mas contando só com o território continental é 68,1 casos ao longo de duas semanas por 100 mil habitantes. Isto significa que Portugal passa para a transição entre o primeiro e segundo quadrantes da matriz de risco e entra novamente na região verde.

Portugal registou mais 220 casos de infeção pelo coronavírus — menos que na segunda-feira passada, dia em que houve 271 novos casos — e uma morte por Covid-19. É a primeira vez em oito meses que não é registada qualquer morte em Portugal Continental: a vítima é uma mulher com 80 anos ou mais  que morreu nos Açores.

Nos hospitais, assinala-se o maior aumento nos internamentos em dois meses. Quatrocentas e cinquenta e quatro (454) pessoas estão internadas por causa da Covid-19, mais 26 que no domingo. As unidades de cuidados intensivos (UCI) acolhem 112 doentes, mais três em relação à última atualização das autoridades de saúde.

25.059 casos ativos no país neste momento, menos 328 do que a atualização publicada no domingo passado. Quinhentas e quarenta e sete (547) pessoas foram consideradas recuperadas da infeção pelo SARS-CoV-2, mas 20.823 estão sob vigilância das autoridades de saúde, mais 111 em relação às 24 horas anteriores.

Dos novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2, 97 registaram-se no Norte, 56 em Lisboa e Vale do Tejo, 24 no Centro, nove no Alentejo, cinco no Algarve, mais 15 na Madeira e 14 nos Açores — onde, recorde-se, foi registada a única morte por Covid-19 em Portugal este domingo.

Os cálculos indicam que foram retirados sete casos positivos à soma de infetados registados no último domingo na faixa etária até aos nove anos — cinco do sexo masculino e dois do sexo feminino. O Observador já contactou a DGS para apurar a origem desta alteração, mas ainda não obteve resposta.

Da totalidade de novos casos, 48 têm 40-49 anos, 46 têm 30-39 anos, 31 estão na faixa etária dos 60-69 anos e há 10 novos casos tanto na população com 10-19 anos, como com 50-59 anos. Vinte pessoas têm 70-79 anos, 19 tem 80 anos ou mais e apenas três estão na faixa etária dos 20-29 anos. Não se sabe se os sete casos retirados à faixa etária mais jovem foram distribuídos para outros grupos.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.