O Tarraco, o topo de gama da Seat com um habitáculo espaçoso e até sete lugares, é um SUV em completa sintonia com o tipo de veículo familiar de que os europeus mais gostam. Até aqui, o Tarraco estava disponível com motores a gasolina e a gasóleo, ambos sobrealimentados e com 150 cv, mas o construtor espanhol anunciou que vai disponibilizar no mercado nacional a partir de Junho uma versão híbrida plug-in (PHEV), o e-Hybrid, que promete ser mais potente, mais económica e, sobretudo, mais acessível para as empresas e profissionais por conta própria.

19 fotos

Mantendo todas as características dos restantes Tarraco, a versão e-Hybrid associa um motor 1.4 TSI a gasolina com 150 cv e 250 Nm, a uma unidade eléctrica com 115 cv e 330 Nm, alimentada por uma bateria com uma capacidade total de 13 kWh, cerca de 10 kWh úteis, o que lhe permite incrementar a potência conjunta para 245 cv e 400 Nm, para simultaneamente lhe assegurar a capacidade de percorrer uma distância considerável em modo exclusivamente eléctrico.

Mais rápido e mais económico

A principal característica do Tarraco PHEV é a sua capacidade de circular apoiado apenas no motor eléctrico (e-Mode). A Seat homologou 49 km em ciclo combinado, segundo a norma WLTP, o que equivale a 53 km em ciclo urbano, o que se revelou compatível com as nossas medições, uma vez que percorremos 21 km com ligeiramente menos de meia carga da bateria e sempre em estrada ou auto-estrada. Para a maioria dos condutores que se desloquem em cidade ou nas proximidades, é possível circular durante grande parte do tempo à custa da bateria, cuja recarga custa apenas cerca de 1€ se a operação for efectuada durante a noite e em tarifa bi-horária, para o que é necessário estar ligado 3,5 horas a uma tomada de 3,6 kW, o máximo que o Tarraco e-Hybrid aceita.

Mas este SUV é mais eficiente em distâncias superiores utilizando o modo híbrido, em que recorre aos dois motores, especialmente se activado o modo de condução s-Boost, que explora ao máximo os 245 cv. A velocidade máxima é de 205 km/h, com os 100 km/h a serem superados ao fim de 7,5 segundos, valores substancialmente mais entusiasmantes do que os reivindicados pela versão a gasolina (198 km/h e 9,5 segundos) ou pela diesel (196 km/h e 10,1 segundos).

12 fotos

Além de mais rápido e veloz, o Tarraco PHEV é igualmente mais económico, o que reduz os custos de utilização. Os valores de homologação conferem clara vantagem ao SUV e-Hybrid, que anuncia um consumo em WLTP de 1,8 l/100km e 41g de CO2/km, com a versão 2.0 TDI a anunciar 5,4 l/100km (e 142g de CO2/km) e o 1.5 Eco TSI 7,1 l/100km (e 162g de CO2/km). Os consumos em condições reais de utilização são mais elevados para todos os tipos de motorizações, mas a realidade é que, em cidade, o Tarraco e-Hybrid que conduzimos rodou a uma média de 2,7 litros, sem grandes preocupações de economia, o que é virtualmente impossível de igualar pelos seus “irmãos” que consomem apenas combustíveis fósseis. Em auto-estrada, a 120 km/h, o consumo subiu para 6,2 litros, o cenário em que os PHEV gozam de menor vantagem.

e-Hybrid mais barato que os gasolina ou diesel

O novo Tarraco e-Hybrid é proposto nas versões Xcellence e FR, incluindo de série todo o equipamento que a Seat (e o Grupo VW) têm para oferecer aos seus clientes. Além de uma generosa bagageira com 610 litros e um habitáculo para apenas cinco adultos (a bateria impede a montagem da 3ª fila de assentos), este PHEV usufrui de painel de instrumentos digital e configurável, um ecrã central com 9,2” que recorre à conectividade para incrementar o número de serviços (com recurso a um cartão SIM) e a um sistema de comando por voz, que se inicia com o muito espanhol “hola hola”.

Em matéria de ajudas à condução, o Tarraco PHEV inclui de série o sistema de travagem de emergência para evitar (ou minimizar) os danos em caso de acidente com outros veículos, peões ou ciclistas, além de cruise control adaptativo, lane centering, sistema de estacionamento automático e até o assistente de atrelado, que ajuda nas manobras em marcha-atrás quando se puxa um reboque. A versão e-Hybrid diferencia-se ainda por permitir aquecer ou arrefecer o habitáculo enquanto ainda está ligado à corrente, a recarregar, o que é comandado através da e-Manager, o sistema de gestão à distância. Veja aqui os equipamentos incluídos de série e os opcionais.

6 fotos

O Seat Tarraco e-Hybrid FR é proposto 49.138€ (47.678€ na Xcellence), ligeiramente acima dos 46.768€ do Tarraco FR 2.0 TDI e dos 44.893€ do Tarraco FR 1.5 EcoTSI (veja aqui os preços e o equipamento incluído). A Seat acredita que, mesmo nestas condições, os menores custos de utilização dão vantagem à versão PHEV. Mas para cativar empresas, o construtor espanhol criou uma versão fiscal, que será proposta por ligeiramente menos de 35.000€, mais IVA, o que perfaz um PVP de aproximadamente 43 mil euros, inferior pois à versão diesel e à gasolina. Mas para as entidades que podem recuperar o IVA, o Tarraco e-Hybrid fica por apenas 35.000€, menos 11 mil euros do que o mesmo SUV com motor a gasóleo. E ainda usufrui de uma redução de 75% no ISV e de 10% na Tributação Autónoma. Isto explica por que se espera que venha a ser o mais vendido a partir de Junho, quando chegar ao mercado.