Morreu o ator Cândido Ferreira, um dos fundadores do grupo de teatro O Bando, vítima de cancro, noticiou a TSF que confirmou a informação junto do filho, o realizador Ivo Ferreira.

O ator começou a carreira no Teatro Operário de Paris, em 1971, com Hélder Costa. O grupo de teatro “O Bando” foi fundado três anos depois, já em Portugal. Cândido Ferreira dirigiu e trabalhou n’O Bando durante 12 anos como ator, dramaturgo, encenador e produtor, refere a nota biográfica dos Artistas Unidos.

Depois de sair d’O Bando, voltou pontualmente ao grupo, mas também colaborou com várias companhias, como o Teatro Experimental do Porto, o Teatro da Cornucópia, a Companhia de Teatro de Sintra ou a Escola da Noite.

Ganhou o Prémio Garrett para interpretação masculina, em 1988, com o espectáculo “Comunidade” de Luiz Pacheco.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“A partir de Junho de 2004 e até 2006 foi o diretor artístico da companhia residente do teatro Chaby Pinheiro, na Nazaré”, refere a nota dos Artistas Unidos.

Cândido Ferreira sempre apoiou os grupos de jovens amadores de teatro, “escreveu para eles vários textos e encenou outros tantos para espetáculos de amadores e semi-profissionais“, refere a mesma nota biográfica.

Além disso, participou em séries e novelas, de televisão, como “Conta-me Como Foi” da RTP e “Laços de Sangue” da SIC, lembrou o Jornal de Notícias.

Também ficou conhecido no cinema, com filmes como a Herdade (2019), Até Amanhã, Camaradas (2005) e Grandes Livros (2009), destacou a TVI. Foi ator em filmes de Manoel de Oliveira, Joaquim Leitão, Joaquim Sapinho, Luís Galvão Teles, Eduardo Guedes, Ivo Ferreira, Luís Filipe Rocha, Raquel Freire, Ruy Guerra e Luís Álvaro Morais.