Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O sistema de certificado verde digital — que vai permitir viajar dentro e para a União Europeia– pode estar operacional já em junho, garantiu este sábado a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. Relativamente ao levantamento das patentes de vacinas de Covid-19, a presidente da comissão, no fim do Conselho Europeu realizado no Porto, devolveu a bola a Joe Biden — o autor da proposta — e diz que essa discussão é para ter a “longo prazo” e que o que é urgente é mesmo os EUA começarem a exportar as vacinas que produzem, tal como faz a União Europeia.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, assumiu este sábado que “há pontos de vista diferentes”, mas que todos defendem “o aumento da produção” e consideram que o levantamento das patentes “não é uma solução mágica”. Já de manhã tinha dito que o levantamento de patentes não era a “bala mágica” que vai resolver a pandemia”.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel. JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Ursula von der Leyen avisou também que não é essa a discussão mais urgente, na linha de Merkel e Macron: “Temos de estar cientes que está é uma discussão a longo prazo, não é uma coisa que se resolva a curto ou médio-prazo.” Para a presidente da comissão europeia “a urgência presente é aumentar a produção de vacinas”. E tal como a União Europeia é “a farmácia do mundo”, os outros países (EUA e Reino Unido) devem fazer o mesmo.  Lembra, a este propósito, que “50% das vacinas produzidas na União Europeia foram exportadas para 90 países”.

A presidente da Comissão Europeia diz que a UE está empenhada no consórcio Covax que pretende universalizar as vacinas. Sobre os 1,8 milhões de doses comprados à Pfizer, Ursula von der Leyen assume que, naturalmente, muitas destas doses podem ser disponibilizadas a países subdesenvolvidos ou mesmo revendidas pelos países europeus.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Relativamente à criação do certificado verde digital,  von der Leyen classificou este como “um tópico que foi importante [porque], naturalmente, todos estão a pensar no do verão”. A presidente da comissão europeia assume “é importante para que as pessoas planeiem com antecedência as férias e é igualmente importante para os trabalhadores do turismo, da hotelaria ou do setor dos transportes que esperam estar de novo no ativo e para as empresas, claro, desses setores que esperam começar a recuperar”.

Von der Leyen diz que “graças ao excelente trabalho da presidência portuguesa do Conselho e devido à rapidez dos parlamentos em chegar a uma posição, podemos realisticamente visar um acordo político até ao final deste mês”. Depois disso falta operacionalizar, tendo a presidente da Comissão uma perspetiva otimista: “O trabalho jurídico e técnico sobre o certificado está no bom caminho para que o sistema esteja operacional.”

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR