Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Ministério da Saúde de Israel confirmou, segundo a agência Reuters, que encontrou um pequeno número de casos de inflamação cardíaca – miocardite – entre pessoas inoculadas com a vacina da Pfizer contra a Covid-19.

A autoridade considera “provável” a ligação entre esses casos de miocardite e a vacinação com esta marca de vacinas. Na sua maior parte, os casos ocorreram em jovens e jovens adultos do sexo masculino.

A Pfizer garantiu que não registou uma taxa de incidência deste problema de saúde nos seus ensaios clínicos num número de pessoas que destoe da taxa normal para estas situações.

Em Israel, terá havido 275 casos de miocardite entre dezembro de 2020 e maio de 2021, entre as mais de 5 milhões de pessoas que foram vacinadas com a vacina da Pfizer. Isto é o que foi revelado no inquérito que foi aberto para averiguar estas situações.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A maior parte dos doentes que tiveram esta inflamação cardíaca passaram quatro dias ou menos no hospital – e 95% dos casos foram considerados “ligeiros”, de acordo com o estudo que foi feito por uma equipa de especialistas.

O estudo determinou que “existe uma ligação provável entre a administração da segunda dose da vacina [da Pfizer] e o surgimento de casos de miocardites entre homens com idades entre os 16 e os 30 anos”, indicou o Ministério da Saúde israelita.