A R.Power investiu 35,4 milhões de euros em Portugal em parques fotovoltaicos com uma capacidade de cerca de 60 megawatts-pico (MWp), revelou a empresa polaca esta terça-feira.

Com base no contrato assinado, a R.Power adquiriu um portfólio de projetos de parques fotovoltaicos com uma capacidade de 59 MWp, esclarece a empresa em comunicado, salientando que o montante global do investimento, após a construção, é de aproximadamente 160 milhões de szolty (35,4 milhões de euros).

Com esta transação, a R.Power tornou-se num dos “maiores investidores” polacos no país, prossegue.

Além disso, explica que a capacidade total dos parques que a empresa terá em Portugal chegará a quase 70 MWp, o que constitui cerca de 7% de todo o potencial dos parques fotovoltaicos no país.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os parques estão localizados em diferentes pontos de Portugal, nomeadamente nos distritos de Santarém, Portalegre e Castelo Branco, e vão gerar cerca de 100 gigawatts hora (GWh) de energia elétrica por ano, o suficiente para atender às necessidades de energia de cerca de 30.000 famílias.

A redução anual esperada de emissões de dióxido de carbono (CO2), por sua vez, excederá 21.000 toneladas, o equivalente à produção de 16 mil carros, lê-se no comunicado, adiantando que todos os projetos devem estar prontos este ano para se iniciar a construção que está prevista arrancar no próximo ano.

A energia que se vai produzir será vendida com base nos PPAs (contratos de compra de energia) a longo prazo, sem usar um sistema de suporte.

A R.Power considera que devido a um dos “níveis de luz solar mais elevados” da Europa, Portugal é “um destino natural” para a empresa.

O cofundador e presidente da R.Power, Przemek Pieta, afirma que Portugal é um “mercado que permite a construção de parques sem nenhum subsídio”, por isso, prevê “um desenvolvimento intenso”, assinalando também que, de momento, a empresa “está a procurar novos projetos e recrutar (pessoas) para vários cargos importantes”.

Realça também que a estratégia atual da empresa se baseia “não só na aquisição e realização de projetos fotovoltaicos”, mas também na “construção do próprio portfólio de parques solares” como produtor independente de energia elétrica.

No final de 2020, a capacidade fotovoltaica instalada no país era de 1,03 GWp e representava 3,6% da produção total de energia.

Portugal quer atingir os 6,4 gigawatts (GW) de capacidade solar total instalada até 2023 e nove GWp até 2030.