Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

A Iveco, um dos gigantes europeus na produção de camiões e veículos comerciais, aliou-se à norte-americana Nikola para produzir os seus veículos pesados eléctricos. Apesar de a Nikola ter sido acusada de fraude nos EUA, o que motivou o afastamento do seu fundador e CEO, a Iveco continua a contar com o know-how do parceiro americano.

A fábrica que vai produzir os camiões eléctricos, em Ulm, na Alemanha, pertença da joint-venture Nikola Iveco Europe, foi recentemente inaugurada, prevendo-se que os primeiros veículos saiam da linha de montagem em 2022.

Além da produção dos camiões em Ulm, a joint-venture aproveitou o facto de estar a jogar em casa para assinar um memorando de entendimento que tem como objectivo o fornecimento de camiões eléctricos ao porto de Hamburgo, o terceiro maior porto europeu, cerca de 700 km a norte de Ulm.

O acordo com esta autoridade portuária germânica prevê o fornecimento de até 25 veículos pesados de classe 8, habitualmente denominados tractores semi-reboque. Numa primeira fase, os Nikola Tre – construídos sobre um chassi do camião Iveco S-Way – vão acima de tudo ser testados no porto, em operações de transporte e logística, para na fase seguinte serem integrados no funcionamento normal.

Para o porto alemão, a possibilidade de “utilizar os camiões eléctricos a bateria fabricados em Ulm representa um passo rumo à obtenção do estatuto de neutralidade carbónica até 2050”, afirmou o responsável para a Economia e Inovação de Hamburgo, Michael Westhagemann.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR