Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O conglomerado germânico liderado pela VW é composto por mais de uma mão cheia de marcas, todas elas a investir fortemente em modelos eléctricos. De todos os construtores tradicionais de automóveis, que durante um século se especializaram em modelos com motores de combustão, o Grupo Volkswagen foi quem mais investiu na electrificação, para desenvolver veículos sobre plataformas específicas para carros a bateria e fábricas optimizadas para os produzir.

Já se conhecem os eléctricos da nova vaga da VW, os ID.3 e ID.4, concebidos sobre a arquitectura MEB, mas vêm aí eléctricos de maiores dimensões, a ser produzidos sobre a Premium Platform Electric (PPE). Com a Audi a estratégia é similar, com o actual Q4 e-tron montado em cima da MEB, mas o próximo Q6 e-tron, de maiores dimensões, já recorrerá à PPE.

No seio da Volkswagen AG, a estratégia é partilhar os custos entre as diferentes marcas e produzir em grande quantidade, para reduzir o custo unitário, pelo que não é de estranhar que Audi e Porsche desenvolvam conjuntamente projectos, que irão ser utilizados pelas marcas de topo do grupo alemão.

O próximo Q6 e-tron partilhará plataforma, suspensões, pack de baterias e motores com a Porsche, que os utilizará no seu novo Macan eléctrico. Serão os primeiros veículos do grupo a recorrerem à PPE e estão ambos previstos para chegar ao mercado em 2023.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR