O grupo imobiliário chinês Evergrande, afetado por uma dívida de 260 mil milhões de euros, anunciou esta quarta-feira o regresso dos seus títulos à Bolsa de Hong Kong, após uma suspensão desde o início do mês.

As cotações serão retomadas na quinta-feira a partir das 09h00 locais (02h00 em Lisboa), indica o grupo num comunicado enviado à Bolsa de Hong Kong.

“Evergrande pode ser a estocada final na economia chinesa”, diz analista que vê “maior esquema Ponzi de sempre” no imobiliário chinês

A Evergrande adverte, no entanto, que pode “não estar em condições de cumprir as suas obrigações financeiras”, acrescentando que “continuará a adotar medidas para atenuar os problemas de liquidez“.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O grupo luta há várias semanas para honrar o pagamento de juros e entregar apartamentos aos seus clientes.

Evergrande é caso isolado e riscos para o sistema financeiro são geríveis, garante banco central da China

A cotação das ações da Evergrande estava suspensa desde 4 de outubro na Bolsa de Hong Kong, depois de a imobiliária ter falhado vários pagamentos.