Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O regulador para a concorrência do Reino Unido, o Competition and Markets Authority (CMA), considerou que o Facebook deliberadamente omitiu informações quanto à aquisição do Giphy, uma plataforma online para criação de gifs. Como avançou a Reuters, a empresa liderada e fundada por Mark Zuckerberg vai ter de pagar uma coima de 50 milhões de libras (cerca de 59 milhões de euros).

“Avisámos o Facebook que sua recusa em nos fornecer informações importantes era uma violação da ordem, mas, mesmo depois de perder o seu recurso em dois tribunais distintos, o Facebook continuou a ignorar as suas obrigações legais”, diz a CMA. “Que [a sanção] sirva como aviso para que nenhuma empresa pense que está acima da lei”, disse ainda esta entidade.

Segundo a CMA, o Facebook, que também detém plataformas como o Instagram e o Whatsapp, não apresentou todos os documentos que podia mostrar para provar que não ia competir com o Giphy ou integrar os serviços da plataforma enquanto esta entidade investigava a aquisição.

Facebook comprou o Giphy e isso pode mudar o Instagram e outras redes sociais

O Facebook comprou o Giphy em maio deste ano 400 milhões de dólares, uma compra que, na altura, foi bastante criticada.  Como afirmou o Facebook na altura, 50% da utilização desta plataforma provém do Instagram. Nos EUA, isso levou três senadores, um republicano e dois democratas, incluindo a antiga candidata na corrida democrata à Casa Branca, Elizabeth Warren, a levantarem críticas. “O Facebook continua a procurar ainda mais maneiras para recolher os nossos dados pessoais”, chegou a acusar o senador republicano Josh Hawley.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao Observador, o Facebook afirmou que “discorda veementemente da decisão injusta”. “Vamos rever a decisão da CMA e considerar as nossas opções”, adicionou a rede social.

*Artigo atualizado às 15h39 com declaração do Facebook ao Observador.