Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O ator norte-americano Leonardo DiCaprio vai ser um dos produtores de um documentário sobre o incêndio de Pedrógão Grande, em 2017, que fará parte de uma série de filmes sobre alterações climáticas.

“From Devil’s Breath” (Sopro do Diabo, em português), da série “The Tipping Point” (O Ponto de Viragem), vai contar a história de dois habitantes de Pedrógão Grande, que foi afetado por um incêndio devastador há quatro anos.

Pedrógão Grande. Os melhores trabalhos da tragédia que matou 64 pessoas

O realizador, Orlando von Einsiedel, que se diz “muito orgulhoso do filme”, explicou a ideia à revista Time:

“Ver a resiliência de pessoas como Nadia Piázza e Vítor Neves, a reconstruir as suas vidas depois de uma tragédia inimaginável, e aprender sobre o potencial do movimento de recuperação como parte importante da solução para os desafios da crise ambiental, deixou-me cheio de otimismo”.

From Devil's Breath, documentário sobre Pedrógão Grande

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O documentário surgiu da colaboração entre os estúdios da Time e da P&G, da plataforma criativa Sugar23 e da produtora Day Zero, do apresentador de televisão Trevor Noah (do “Daily Show”, da Comedy Central).

Jennifer Davisson, Phillip Watson, Ian Orefice e Alexandra Johnes vão ser os produtores executivos do documentário. Chloe Leland e Harri Grace fazem companhia a Leonardo DiCaprio na restante produção, que agradeceu a oportunidade de trabalhar com Orlando von Einsiedel, e notou a importância do filme:

“Colaborar com Orlando no ‘From the Devil’s Breath’ foi uma oportunidade que eu não podia deixar passar. Esta importante história é cativante, poderosa e relevante nos dias de hoje, e eu estou orgulhoso de fazer parte dela”, disse o ator e agora produtor, que espera que “o filme dê início a conversas e inspire as pessoas a agir” numa altura em que “o nosso planeta enfrenta uma inegável crise ambiental”.

A estrela de Hollywood esteve presente na Cimeira do Clima das Nações Unidas (COP26), onde se encontrou com António Guterres, secretário-geral da ONU, para uma “conversa sobre ação climática”, revelou numa publicação no Twitter:

Chloe Leland destacou, também, a importância do documentário na atualidade, em que as alterações climáticas são tema recorrente de discussão:

“[A história do documentário] destaca a necessidade humana de uma reconstrução eficaz e informada e a conservação da nossa natureza, assim como do abandono global dos combustíveis fósseis. […] Esperamos que, através desta história poderosa sobre pessoas comuns, o filme inspire uma tomada de ação real e tangível, e que dê força a audiências por todo o mundo”, disse a produtora, que garante que “podemos mudar o futuro, se nos unirmos”.

A área ardida. Os prejuízos. As contas. Todos os números da tragédia de Pedrógão Grande em 4 gráficos

O incêndio de Pedrógão Grande, em 2017, destruiu mais de 50 mil hectares de território, atingiu cerca de 500 casas, 261 das quais habitações permanentes, causou a morte de mais de 60 pessoas, e provocou um prejuízo total de cerca de 500 milhões de euros ao Governo português.