Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O primeiro-ministro António Costa anunciou esta tarde novas medidas para travar o avanço da epidemia em Portugal. O país vai entrar novamente em situação de calamidade a 1 de dezembro, com o regresso das máscaras obrigatórias e a necessidade de mostrar certificado de vacinação e testagem para entrar em bares e discotecas.

Mas as medidas vão ser reforçadas ainda mais na semana imediatamente a seguir ao Ano Novo, de 2 a 9 de janeiro, para atenuar o impacto dos contactos sociais durante as festividades natalícias. Durante essa semana, o teletrabalho é obrigatório, as discotecas fecham portas e não há aulas — o primeiro dia do segundo período foi adiado para 10 de janeiro.

A partir de dia 1 de dezembro

Recomendações gerais

  • Declarada a situação de calamidade.
  • Testagem regular.
  • Teletrabalho.
  • Obrigatório o uso de máscara em espaços fechados e todos os recintos não excecionados pela DGS.

Certificado digital

Obrigatório no acesso a:

  • Restaurantes
  • Estabelecimentos turísticos e alojamento local
  • Eventos com lugares marcados
  • Ginásios

Testagem

Obrigatória a apresentação de teste negativo (mesmo para vacinados) no acesso a:

  • Visitas em lares.
  • Visitas a pacientes internados em estabelecimentos de saúde.
  • Grandes eventos sem lugares marcados ou em recintos improvisados e recintos desportivos
  • Discotecas e bares

Fronteiras

  • Teste negativo obrigatório para todos os voos que cheguem a Portugal.
  • Sanções fortemente agravadas para as companhias de aviação.

Na semana de 2 a 9 de janeiro

  • Teletrabalho obrigatório.
  • Recomeço das aulas a 10 de janeiro.
  • Encerramento de discotecas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR