Itália vai devolver à Grécia, após novo acordo, um fragmento de mármore pertencente ao friso do Pártenon. As tensões relativas à devolução de peças de mármore deste momento grego ressurgem, assim, entre o berço da antiguidade clássica e o Reino Unido, que tem vários fragmentos com cerca de 2500 anos no Museu Britânico desde o início do século XIX.

O mármore até agora guardado no Museu Arqueológico Regional de Palermo, na Sicília, retrata, de acordo com o The Guardian, os pés de uma deusa, que será ou Peitho, a deusa da sedução e da persuasão, ou Artemis, ligada à vida selvagem e à caça. Os pés de mármores foram comprados pela Universidade de Palermo à viúva de Robert Fagan, um cônsul britânico destacado em Sicília e na Malta, após a morte deste em 1816.

Como parte de uma troca temporária entre os dois setores da Cultura, a peça de mármore vai ser emprestada durante quatro anos com a possibilidade de poder permanecer na Grécia durante outros quatro. Não foi afastada a hipótese, contudo, de a nova troca poder tornar-se permanente no futuro.

Os helénicos, em específico o Museu da Acrópole, em Atenas, vão ceder ao museu de Palermo, em troca, uma estátua da deusa Atenas, do século V D.C., assim como uma ânfora que data do século VIII D.C.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.