Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Hospital de Braga foi o que mais cresceu em cirurgias realizadas entre novembro de 2019 (o último ano antes da pandemia de Covid-19) e o mesmo mês do ano passado: foram mais 34,8% de intervenções cirúrgicas, subindo de um total de 31.418 para 42.873. Mesmo em números absolutos, o hospital bracarense só fica atrás de outro a nível nacional — o Centro Hospitalar São João, no Porto.

Quais são os hospitais do Grupo D?

Mostrar Esconder

Do grupo D fazem parte o Hospital de Braga, Hospital Espírito Santo de Évora, Hospital Fernando da Fonseca, Hospital Garcia da Orta, Centro Hospital Universitário de Faro, Centro Hospital de Tondela-Viseu, Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro e Centro Hospital de Vila Nova de Gaia/Espinho.

Uma análise mais fina aos números revela que o sucesso do Hospital de Braga repete-se nas cirurgias realizadas em ambulatório: após dois anos de pandemia, o hospital conseguiu aumentou de 19.270 para  28.987 as cirurgias realizadas em ambulatório. É o maior aumento entre os hospitais do grupo D e o segundo maior a nível nacional, ultrapassado apenas pelo São João.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Fonte oficial do Hospital de Braga partilhou com o Observador que o crescimento nas intervenções cirúrgicas é fruto de uma estratégia que envolve a realização destes procedimentos não só em dias úteis, mas também  aos fins de semana e feriados; e não só nas instalações daquele hospital, que é de pequena dimensão, como igualmente em blocos operatórios externos de outras entidades do setor privado e social.

O aumento do número de cirurgias realizadas registou-se em todas as especialidades, mas destacam-se as áreas da cirurgia vascular, cirurgia pediátrica, cirurgia geral e a ortopedia. A mediana no tempo de espera para cirurgia é de 2,7 meses, mas o intervalo varia de acordo com a especialidade em causa.

Até novembro de 2021, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) realizou mais de 654 mil intervenções cirúrgicas, o valor mais elevado desde que há registos neste mês. São mais 23,5% face ao mesmo período de 2o20 e mais 0,4% em relação a 2019. Depois do Hospital de Braga, os maiores aumentos percentuais em números de cirurgias vão para o Hospital de Cascais (27,5%), Centro Hospitalar Entre o Douro e Vouga (17,8%), Centro Hospitalar de Leiria (17,1%) e Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho (12,9%).