Com o debate político centrado nas voltas e reviravoltas sobre onde vai ser o futuro aeroporto internacional de Lisboa, a rede de alta velocidade — a outra grande obra pública que no passado foi atacada por ser faraónica — está a avançar. A primeira fase da linha entre Porto e Lisboa foi apresentada esta quarta-feira, e juntou António Costa e Pedro Nuno Santos já em clima de franca conciliação depois dos mal entendidos e “erros” que quase levaram à saída do ministro das Infraestruturas em junho.

Costa apresenta nova linha de alta velocidade para provar que PS não governa “só para o dia de hoje”

No final da apresentação, o vice-presidente da Infraestruturas de Portugal, Carlos Fernandes — que esteve também envolvido no projeto do TGV lançado no final da década de 2000 — agradeceu a confiança e ambição. “É com certeza devido a si que estamos todos aqui hoje” disse dirigindo-se para Pedro Nuno Santos.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.