Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Para Leyla Acaroglu, a designer nomeada “Champion of the Earth” pelas Nações Unidas, a recuperação do setor do turismo, profundamente abalado pela atual pandemia, passa essencialmente por variáveis como slow travel, viagens com sentido, feitas em segurança e até localmente. Aquela que é uma das principais oradoras da 3º edição da Lisbon Tourism Summit, evento organizado pela Beta-i e apoiado pelo Turismo de Portugal, a acontecer esta quarta-feira em formato online, defende que “afastarmo-nos da versão fast food do turismo” pode trazer vários benefícios.

Socióloga e empresária, Acaroglu é protagonista de várias conferências sobre design e sustentabilidade, autora de livros e até a fundadora do primeiro “brain spa” em Portugal, um retiro com dormida cujo objetivo passa por nos desligarmos do mundo exterior e focarmo-nos no vasto tópico da sustentabilidade. Em entrevista ao Observador, defende que “tanto a fast fashion como a fast travel foram interrompidas pela Covid-19 numa altura em que muito provavelmente precisavam de ser interrompidas. Numa altura em que tínhamos companhias aéreas a falar de tirar os assentos e transformar os aviões em autocarros no ar”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.