1. O que está previsto (em termos de celebração)?

  2. O Sporting pode tornar-se campeão esta terça-feira, ao fim de 19 anos –bastará aos leões conquistar dois pontos no próximo jogo desta terça-feira frente ao Boavista. Isto porque o FC Porto não perdeu pontos frente a Farense — caso isso tivesse acontecido, a equipa verde e branca poderia ter garantido o troféu, sem sair do sofá.

    Os preparativos para as celebrações da conquista do campeonato estão, por isso, a todo o gás, mas num ano de pandemia todos os cuidados terão de ser redobrados. Os grandes ajuntamentos continuam a não ser permitidos — ainda que dificilmente possam ser evitados — e a festa do título terá de ser feita de forma menos efusiva.

    O objetivo dos leões é conseguir uma celebração que promova o menos possível os ajuntamentos. Fonte do clube admite ao Observador que vai ser tudo muito espontâneo, sendo que muitos se vão juntar em Alvalade, outros no Marquês de Pombal.

    Descartada está, de acordo com a mesma fonte, a ideia de haver qualquer tipo de celebração no estádio, principalmente após as palavras do primeiro-ministro, que rejeitou adeptos nos estádios esta temporada. O Sporting está, por isso, a tentar arranjar uma solução de consenso — e um autocarro panorâmico parece ser a resposta.

    Vamos por partes.

    Se o Sporting tivesse sido campeão já esta segunda-feira, os festejos teriam sido muito mais espontâneos. Era previsível que os adeptos se deslocassem ao Marquês ou ao estádio, caso o Futebol Clube do Porto não tivesse vencido o Farense. Não haveria, porém, qualquer celebração oficial. A equipa toda, mesmo os não convocados para a partida frente ao Boavista, estaria na Academia Sporting e, em qualquer circunstância, os jogadores não sairiam daquele local.

    Mas se o o título, a confirmar-se, só for garantido na terça-feira, a festa deverá estar mais bem organizada. Nesse dia, são esperados dois ajuntamentos, um no Marquês e outro à porta do Estádio José Alvalade, até porque o jogo vai ser em casa.

    O Observador sabe que haverá um autocarro panorâmico, que chegou a Alvalade este fim de semana. Este autocarro fará o trajeto Estádio José Alvalade-Marquês, passando pelo Campo Grande, por Entrecampos, pelo Saldanha e por Picoas até chegar ao destino. O objetivo seria não fazer qualquer paragem — ainda que isso dependerá em muito da massa humana que se juntar e que poderá travar a deslocação do autocarro. No regresso, o trajeto será exatamente o contrário.

    Antes disso, após a partida frente ao Boavista, em caso de vitória, haverá ainda uma festa no estádio sem os adeptos, onde estarão presentes a equipa técnica, a administração da SAD, os funcionários e, obviamente, os jogadores.

    Por agora, ainda não estão planeados quaisquer eventos em frente à Câmara Municipal de Lisboa.

  3. Alguma entidade está a organizar o festejo?

  4. Na quinta-feira passada, o secretário de Estado do Desporto e da Juventude, João Paulo Rebelo, admitiu em entrevista ao Canal 11 que a festa do título do Sporting já estava a ser preparada, tendo havido uma reunião entre a Câmara Municipal de Lisboa, as forças de segurança e o clube de Alvalade.

    «[A festa] está a ser preparada, tive oportunidade já esta semana de falar com responsáveis do Ministério Administração Interna (MAI) e hoje [na quinta-feira] mesmo decorre uma reunião entre a Câmara Municipal de Lisboa, um potencial vencedor do campeonato [Sporting] e as forças de segurança», referiu.

    Além disso, o governante assinalou que é “muito melhor” que “alguma coisa esteja preparada, do que deixarmos que as comemorações aconteçam livremente”. E também admitiu “que será muito difícil evitar essas manifestações e o melhor é enquadrá-las e dar-lhes as melhores condições”.

    Mas sinalizou que “é possível juntarmos pessoas com segurança. É isso que é fundamental que se faça”.

    Já fonte da Câmara Municipal de Lisboa atribuiu a competência à PSP, que se está a articular com a Direção-Geral de Saúde (DGS), tendo havido reuniões entre as duas entidades, em que também está presente um representante da autarquia. Em última instância, é a DGS que tem a responsabilidade de ditar as normas, destaca a mesma fonte.

    Fernando Medina disse, por sua vez, à Agência Lusa que a Câmara está a “estudar”, a “trabalhar” e “a pensar nas melhores soluções para se acontecer a vitória do Sporting no campeonato, poder haver festejos em segurança na cidade de Lisboa”.

    O presidente da Câmara de Lisboa salientou também está a ser realizado um trabalho em conjunto com a DGS, a PSP, a Polícia Municipal, a Proteção Civil e Bombeiros para encontrar a forma para que os festejos ocorram “em condições de segurança física, mas também de segurança sanitária”.

    Todos percebem que há aqui uma grande preocupação das autoridades de saúde e de todos nós em não termos que dar um passo atrás relativamente à gestão da pandemia e, por isso, evitar aglomerações e pontos de grande concentração de pessoas é essencial e é nesse sentido que estão a ser desenhados os modelos, que a seu tempo nós divulgaremos”, frisou Fernando Medina.

    O autarca afirmou ainda que apenas quando e caso o Sporting se torne campeão a Câmara revelará os planos para a celebração do campeonato.

  5. Que planos está a fazer a PSP?

  6. A Polícia de Segurança Pública (PSP) confirma que tem havido reuniões sobre esta matéria, tanto com o clube como com a Direção-Geral da Saúde. Outra fonte policial contou ao Observador que já estão a trabalhar sobre este assunto há algo tempo, para preparar um final de campeonato neste contexto de pandemia.

    Para a polícia há, desde o início, dois cenários: caso os festejos tenham lugar num local definido, como o Marquês, a polícia tratará do controlo de acesso e da manutenção da ordem pública. No entanto, se não houver nenhum local definido, haverá um controlo de danos, garantindo-se ao mesmo tempo a ordem pública e que não há ocupação da via.

    Para terça-feira, por volta das 12h, está prevista uma conferência de imprensa na qual serão anunciados todos os detalhes.

    A GNR de Alcochete também estava a montar uma operação especial caso o Sporting for campeão esta segunda-feira, uma vez que a equipa estará concentrada na Academia e seria previsível que alguns adeptos também procurem aquele local para festejar.

  7. Que regras se aplicam neste momento e o que é que a DGS tem previsto?

  8. Em praticamente todo o território — incluindo Lisboa — vigora o estado de calamidade e a fase 4 de desconfinamento. Isto significa que podem ocorrer grandes eventos exteriores com limitação da lotação.

    No entanto, continua a ser obrigatório o uso de máscara na via pública e devem manter-se as regras de distanciamento físico — algo que deverá ser complicado numa celebração como a do campeonato.

    Fonte policial admitiu ao Observador que uma celebração com aquela que ocorreu no final da temporada 2018/2019 — em que o Benfica foi campeão — não será possível, devido às contingências impostas pela pandemia.

    O Observador tentou apurar junto da DGS quais seriam os planos para os festejos do campeonato, mas ainda não obteve resposta.

  9. O que tem acontecido nas últimas semanas?

  10. O Sporting tem estado no primeiro lugar desde a sexta jornada. Com nenhuma derrota até ao momento e duas vitórias frente aos rivais Benfica e FC Porto, o clube apenas concedeu sete empates ao longo da temporada, três dos quais durante o mês de abril — frente ao Moreirense, ao Famalicão e ao Belenenses SAD –, o que podia ter complicado as contas do título.

    No entanto, a vitória frente ao Sporting de Braga no dia 25 de abril foi determinante, juntamente com o empate do FC Porto frente ao Moreirense no dia seguinte. A partir daí, os leões entraram numa fase positiva e não cederam qualquer ponto — ao passo que os dragões voltaram a escorregar na quinta-feira passada frente ao Benfica.

    Horas antes, na madrugada dessa quinta-feira, já vários adeptos tinham estado presentes nas imediações do Estádio José Alvalade para receber a equipa após a partida em Vila do Conde — onde o Sporting venceu o Rio Ave por 2-0.

    Entre cânticos de apoio, tochas e rebentamento de petardos — num cenário com várias pessoas em grupo –, a polícia acabou por intervir. Alguns adeptos sportinguistas chegaram a arremessar objetos contra a polícia, incluindo pedras.

    https://twitter.com/rodrigu3z885/status/1390140018933608457

    Em Vila do Conde também estiveram vários adeptos a receber a equipa antes da partida com o Rio Ave.

    Mas não foi o único caso. No jogo contra o Nacional no passado sábado, os adeptos também se reuniram nas imediações do estádio José Alvalade com tochas verdes para apoiar o clube. Quando o jogo começou, os cânticos de apoio à equipa eram audíveis no interior do estádio.

    https://twitter.com/LiliaVentura06/status/1388542028196233217

    Durante o jogo com o Nacional, alguns adeptos sportinguistas conseguiram mesmo entrar no estádio José Alvalade, através da garagem, ficando no interior de uma das bancadas. Passado uns minutos desde o início do jogo, a polícia acabou por intervir, retirando-os do local, segundo deu conta o jornal A Bola.

    Outra polémica estalou na segunda-feira: alguns adeptos da claque Torcida Verde foram atacados por membros da claque benfiquista Diabos Vermelhos, após os sportinguistas terem colocado uma tarja junto à rotunda do Leão, em frente ao Pavilhão João Rocha, que contém a inscrição “Março 2020-Maio 2021, aos que partiram e deixaram a saudade como companheira”. Um adepto sportinguista acabou mesmo por ficar ferido.

    Adeptos do Sporting atacados em Alvalade por membros dos Diabos Vermelhos. PSP já apreendeu um carro junto ao Estádio da Luz

    Entretanto, o Sporting lançou um comunicado no qual mostrou o repúdio “veemente” contra os “atos de violência gratuita contra a Torcida Verde desencadeados por um grupo de adeptos do clube rival”, acrescentando ainda que “situações desta natureza não dignificam o Desporto nacional nem são representativas do Futebol em particular. O Sporting continuará sempre a defender que a cultura de medo, de conflito e de violência deve ser banida do futebol português”.