Explicador

Factos, dúvidas e contradições do caso Sócrates

Fevereiro 201509 Fevereiro 2015383
Hugo Tavares da SilvaSónia Simões

Quem é o juiz que tem estado debaixo dos holofotes?

Pergunta 15 de 17

Chama-se Carlos Alexandre. Tem 53 anos, e é o magistrado judicial responsável pelo Tribunal Central de Instrução Criminal. Já mereceu alcunhas como “Super-Juiz“, “Juiz sem medo” e ainda “Mourinho da Justiça”. E foi comparado ao juiz espanhol, Baltazar Garzón, que também travou uma luta contra a corrupção em Espanha e ordenou a detenção de várias personalidades.

O Observador escreveu em novembro um perfil detalhado sobre este homem, sobre quem está colocada toda a atenção. E pressão. Carlos Alexandre foi o nome associado aos processos judiciais com maior impacto mediático como o caso Monte Branco e as operações Furacão, Portucale, Face Oculta e BPN. Em julho, ordenou a detenção de Ricardo Salgado.

O El País, a 23 de novembro, escreveu também sobre este juiz. “O filho de um carteiro não se assustou quando alguém assaltou a sua casa e colocou uma pistola junto da fotografia dos seus filhos. Deram-lhe um par de guarda-costas e foi trabalhar. Como sempre”. É assim que começa o artigo sobre juiz português no diário espanhol.

Carlos Alexandre, natural de Mação, estudou na Telescola e licenciou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. É católico, puxa pelo Sporting e gosta de touradas.

Enquanto dirigia a instrução do processo Face Oculta, o juiz deu uma entrevista ao amigo António Colaço, antigo assessor do PS e dinamizador do blogue “Ânimo para tornar os dias mais leves”, Carlos Alexandre disse: “Em matéria criminal, além do conhecimento óbvio que tem de haver é preciso coragem, dedicação, disponibilidade (…) Se alguma qualidade me pode ser efetivamente assacada é a de ter alguma coragem”. O juiz acrescentou ainda:

“Eu até este momento ainda não tenho preocupação sempre que abro a minha porta de casa e do gabinete”.

Como católico, participa sempre nas comemorações da Páscoa em Mação, onde nasceu. Há dois anos, o amigo António Colaço voltou a entrevistá-lo para o blogue Ânimo. Nessa ocasião, Carlos Alexandre participava numa oração na noite de sexta-feira Santa e respondeu a algumas perguntas para a câmara, revelando uma situação de pressão. “No contexto de uma diligência em que se procurava tomar contacto com documentação, foi-nos dito, por uma pessoa com importância na praça, que sabia o que estava ali a fazer porque estava ali a mando de alguém que lhe pagava e que essa pessoa contava com ele para fiscalizar aquele ato, porque quando o dinheiro falava, a verdade calava”. A resposta do juiz: “Comigo a verdade falará sempre mais alto”.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)