O texto é longo e fala de um Presidente da República, Jair Bolsonaro, que é tratado injustamente. Os culpados são os jornalistas brasileiros, “que acham que têm o direito de opinar pessoalmente apenas para influenciar suas audiências em uma direção negativa”. O músico Gusttavo Lima é apontado como o autor da opinião que circula no Facebook, mas o cantor nunca escreveu tal coisa. A publicação é falsa.

Uma das publicações em que o texto é falsamente atribuído ao cantor Gusttavo Lima.

O excerto tem sido partilhado entre aspas, ou seja, como se se tratasse de uma citação que é atribuída a um autor em específico. É ainda acompanhado por duas fotos, uma de Gusttavo Lima e outra de Bolsonaro, lado a lado, numa evidente fotomontagem. As palavras são atribuídas ao músico brasileiro, mas na página oficial de Gusttavo Lima nunca foi publicada esta opinião.

Confrontada com a informação que andava a circular nas redes sociais, a equipa de assessores de imprensa de Gusttavo Lima enviou uma nota às redações brasileiras na qual garante que “este texto não foi escrito nem divulgado pelo cantor”. De acordo com a “Lupa”, uma agência de fact checking no Brasil, sabe-se que o artista é eleitor de Bolsonaro e que já o defendeu no Instagram, mas a verdade é que, nos últimos meses, nem sequer tem usado as redes sociais para falar de política.

Contudo, este tipo de opiniões falsas que lhe têm sido atribuídas não são novidade. A 19 de março, Gusttavo Lima teria escrito na conta que tem no Twitter [sic]: “Em nenhum outro país a oposição incluindo a mídia está usando a crise do coronavírus para atacar o governo. Aqui no Brasil não só estão usando como estão torcedo para ter muitas mortes para poderem usar de palanque político. A oposição ao governo Bolsonaro é muito suja”.

Um dos tweets falsos criados com o assunto

Mais uma vez, os assessores do cantor desmentiram a autoria do texto e a agência “Lupa” descobriu que o Tweet original tinha sido publicado na conta Patriotas, que apoia Jair Bolsonaro. A partilha tem exatamente a mesma hora e o mesmo dia, o que indica que alguém terá pegado no Tweet e feito uma montagem com a fotografia de Gusttavo Lima no topo, como se fosse ele o autor. A imagem que estava a ser partilhada tinha sido alvo de uma montagem, usando um tweet publicada noutra conta e falsamente colocada no perfil do cantor.

O tweet (este verdadeiro) que serviu de base à montagem falsa.

Quanto ao texto atual, que tem vindo a ser partilhado desde o meio de abril, esta não é a primeira vez que surge no Facebook. Em julho de 2019, a mesma opinião — apenas com uma ou outra palavra diferentes — foi atribuída ao jornalista Alexandre Garcia. Neste caso, a publicação  tinha as fotos de Bolsonaro e do repórter. Tinha começado a circular em março desse ano no Twitter, onde o próprio Alexandre Garcia já tinha feito um desmentido. “Não vou repetir o texto falso, ou estaria ampliando a falsidade e montando no cavalo do bandido”, escreveu.

Conclusão

O texto que circula no Facebook a defender Jair Bolsonaro e a criticar a imprensa brasileira não foi escrito pelo cantor Gustavvo Lima. Esta não é a primeira vez que a opinião é partilhada nas redes sociais. Surgiu inicialmente em março de 2019 e, na altura, foi atribuída ao jornalista Alexandre Garcia. Isso também não era verdade, embora não se saiba exatamente quem colocou a informação nas plataformas online. Ambos negaram publicamente serem os autores da opinião e não é possível encontrá-la nas contas que detêm nas redes sociais. As imagens partilhadas no Twitter e no Facebook são fotomontagens.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge