No início deste mês, começou a circular em páginas de Facebook da região de Santarém, a informação de que o mercado municipal, cujo edifício data de 1930 e cuja fachada é toda em azulejo, iria albergar um hipermercado Continente de 1200 metros quadrados. O edifício está neste momento a sofrer obras, mas, ao Observador, o presidente da câmara garante que “não irá para ali nenhum Continente”.

Um dos posts de Facebook sobre o tema

No grupo “Santarém ao Abandono“, esse foi um tópico de conversa e levou mesmo o presidente da câmara, Ricardo Gonçalves, a apelidar a informação de “informação falsa”. “Corre nas redes sociais a notícia falsa de que a câmara de Santarém vai transformar o Mercado Municipal num hipermercado ‘Continente’. Aos ‘Velhos do Restelo’ que têm medo e tentam evitar o futuro de Santarém, seja por razões políticas, seja por outros interesses particulares, que cobardemente se escondem em perfis falsos a tentar difundir mentiras e falsidades, digo que estão do lado errado da história”, escreveu o presidente da câmara no Facebook para dar resposta às várias publicações que, por estes dias, se multiplicavam na internet a alertar para a construção daquele hipermercado.

Uma das publicações difundidas no Facebook

“São uns vendidos!”, “Vergonha”, eram alguns dos insultos que acompanhavam as publicações, onde alguns utilizadores questionavam a veracidade da informação. Para acalmar os ânimos, o autarca chegou a comentar nessa mesma rede social que o projeto de requalificação do mercado de Santarém está em marcha como parte de um projeto antigo e previamente divulgado. “O Mercado será um espaço de turismo, de cultura, de encontros e de afetos e não vai ser alienado, a que título for, a qualquer supermercado! A calúnia e a difamação, não são contra mim, mas contra Santarém, será sempre tratada nos locais próprios”, escreveu.

Ao Observador, Ricardo Gonçalves foi mais longe e esclareceu mesmo que “não vai para ali nenhum Continente”, e que o objetivo é concessionar, sim, mas para desenvolver uma espécie de Mercado da Ribeira, como há em Lisboa. Para já, esclarece, não foi ainda sequer lançada a concessão, pelo que não há nada concessionado com a Sonae (dona do Continente). “Não há projeto nenhum com a Sonae, ainda nem sequer lançámos a concessão, o mercado vai ser concessionado para ter comércio como o mercado da Ribeira”, esclareceu em declarações ao Observador.

Outra coisa diferente, acrescenta o autarca, é um projeto que foi apresentado na câmara de Santarém de uma empresa que quer construir um prédio e, nesse prédio, construir um Continente — e daí pode ter surgido a “confusão”. “Há um projeto que foi apresentado na câmara de uma empresa que quer construir um prédio e alavancar isso com um Continente na parte comercial do prédio. As pessoas devem ter ouvido isso e fizeram confusão, mas no mercado não há nenhum Continente”, garantiu.

Corre nas redes sociais a NOTÍCIA FALSA de que a Câmara de Santarém vai transformar o Mercado Municipal num supermercado…

Posted by Ricardo Gonçalves on Wednesday, December 4, 2019

Conclusão

Apesar de, segundo o presidente da câmara, haver de facto um projeto apresentado na câmara para a aquisição de um prédio e posterior construção de um Continente na parte inferior, a informação que estava a circular de que o Mercado Municipal de Santarém se iria transformar num hipermercado da Sonae com 1200 metros quadrados não é verdadeira. Segundo a autarquia, o projeto de requalificação do Mercado aponta para a criação de uma espécie de Mercado da Ribeira — e não prevê a construção de um hipermercado Continente.

Assim, segundo o sistema de classificação do Observador este conteúdo é:

Errado

Segundo o sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge