A publicação alega que “dinheiro foi jogado nas ruas da Venezuela, porque não serve para comprar nada” e a legenda continua afirmando que “também não tem nada nas prateleiras para comprar”.

É verdade que a desvalorização do bolívar tem levado a população a descartar a moeda venezuelana e a utilizar cada vez mais o dólar americano em detrimento do bolívar. Também é verdade que o poder de compra da população não se coaduna com o preço dos bens essenciais à venda. Foi igualmente noticiada, nos últimos anos,  a escassez de bens alimentares nas prateleiras das lojas. No entanto, a fotografia não é recente e foi retirada do contexto.

Houve quem deitasse fora notas de bolívar, com a hiperinflação que se vivia no país nesse período — a fotografia terá sido tirada em março de 2019, altura em que um dólar americano correspondia a cerca de 3 mil bolívares. Fotografias da Nur Photo, em parceria com a agência France Presse, mostram isso mesmo.

Ou seja, não seria impossível encontrar notas de baixo valor descartadas nas ruas venezuelanas, mas este não é um desses casos. Trata-se de uma fotografia tirada após um assalto ao banco Bicentenário, na cidade de Mérida.

A imprensa venezuelana noticiou o caso, explicando que se tratava de notas de bolívar forte. Só que o bolívar forte já estava fora de circulação e tinha dado lugar ao bolívar soberano. Naquele banco, os assaltantes só encontraram essas notas que já estavam fora de uso desde o ano anterior — mais concretamente, desde agosto de 2018. Isso explica a indiferença de quem passa pelas notas.

A fotografia em causa tem circulado desde 2019 nas redes sociais, alimentando várias publicações falsas ou enganadoras, que apresentam diferentes versões. Mais recentemente a fotografia foi também atribuída a uma situação passada em Itália, numa publicação que alegava (erradamente) que os italianos estavam a deitar fora dinheiro para mostrar que não era mais importante do que a saúde, numa altura em que o país enfrentava a pior fase da pandemia e que era o epicentro do coronavírus na Europa. A imagem tem, por isso, sido instrumentalizada para diversos fins.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Conclusão

A fotografia foi tirada na Venezuela, mas num contexto particular, que a legenda ignora. Além disso, o registo não é recente, tem mais de dois anos, um dado que não acompanha a publicação e a retira mais uma vez do contexto. A legenda torna, por isso, a publicação enganadora. O dinheiro não foi “jogado nas ruas da Venezuela”, como se depreende, por causa da desvalorização do bolívar. Foi, sim, devido ao facto de as notas em causa já estarem fora de circulação.

Assim, e de acordo com a classificação do Observador, este conteúdo é:

ENGANADOR

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

PARCIALMENTE FALSO: as alegações dos conteúdos são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou está incompleta.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge