A atual conjuntura despoletada pelo COVID-19 levou-nos a realizar a nossa própria transformação digital, ou pelo menos a fazer um ‘upgrade’ na nossa relação com as novas tecnologias! Num contexto de quarentena, somos hoje convidados a trabalhar a partir das nossas casas e a interagir substancialmente mais por sistemas de videoconferência (ex.: Skype, Zoom, etc.), para reunir com colegas ou até para nos conectarmos com familiares. A boa noticia é que, de acordo, com um estudo recente da FYI, 96% das pessoas que trabalham remotamente recomendam esta forma de colaboração a um amigo, ou seja, estão satisfeitas. Este dado é importante, pois já há quem antecipe uma mudança de paradigma social e organizacional, decorrente da atual situação em que vivemos e que, mesmo depois do COVID-19, nada jamais será como dantes. O tempo o dirá!

É importante, por isso, estarmos mais atentos à maneira como comunicamos de forma virtual e, nesse sentido, partilho 3 dicas:

  1. Evite olhar de cima para baixo: coloque o computador à altura da sua face para evitar um olhar de sobranceria. Se o seu computador está pousado normalmente sobre a sua secretária, o mais provável é que irá olhar para a câmara de cima para baixo. Nesta situação, trazemos um poder negativo para a relação, pois passamos a mensagem de que estamos numa posição de superioridade. Para evitar que isso aconteça, garanta que a câmara do computador, ou do telemóvel, está em linha com a sua testa. Para tal coloque, por exemplo, uma pilha de livros debaixo do computador e ajuste devidamente a altura.
  2. Foque a câmara e sorria: em diversas videocalls em que participo, vejo por vezes as pessoas a olhar para todos os lados menos para a câmara e, frequentemente, esquecem-se de sorrir. Ao focar a sua atenção na câmara, iniciando o diálogo com um sorriso agradável, é como se estivesse a enviar um convite eletrónico para o outro se conectar emocionalmente consigo. Lembre-se, não é suficiente partilhar um bom conteúdo, a comunicação não-verbal também conta. Uma técnica que aconselho aos meus clientes, é colocarem um post-it por trás da câmara do computador, com uma mensagem positiva, de forma a gerirem melhor o seu olhar e as suas emoções.
  3. Tenha em atenção os gestos: os gestos são uma componente fundamental da comunicação. Com os gestos ilustramos o que dizemos, gerimos a atenção e influenciamos o outro. Procure afastar-se um pouco da câmara do computador ou do telemóvel, de forma a garantir que os seus gestos podem ser observados por quem está do outro lado. Por outro lado, evite grandes oscilações do corpo (por ex., balanços de trás para a frente). Atendendo ao contexto, o gesto da palma da mão para cima pode transmitir transparência e abertura. O gesto da palma da mão para baixo pode comunicar autoridade sobre o tema. O gesto da bolsa da sabedoria (que consiste em juntar os dedos de uma mão com os da outra, formando uma configuração que nos faz recordar a torre sineira de uma igreja), pode transmitir autoconfiança. Use os gestos com consciência e, progressivamente, vai sentir-se a comunicar com maior naturalidade.

Comunicar eficazmente através de videoconferência e de outros meios online pode ser desafiante ao início, no entanto, se aplicar consistentemente estas dicas, verá por si mesmo que o espaço que o separa dos outros é, cada vez mais, uma ilusão.