Os novos (velhos) Ministros do futuro Governo já foram apresentados a Sua Excelência o Presidente da República, são do conhecimento público e vão tomar posse. Que acham da dimensão deste Governo?

Neste particular, depois do Povo expressar a sua vontade nas eleições legislativas (apesar da grande abstenção, que em si só, também é uma vontade expressa) interessa para Portugal um Governo sólido e estável. Não me parece que seja o caso! Isto porquê? Porque este Governo parece mais uma remodelação ministerial, do que um novo governo. Poderemos dizer que, se calhar, é mais um governo não a pensar em governar, mas a pensar em gerir o combate político e parlamentar (vejam o número de Secretários de Estado), para daqui a dois anos criar uma crise política e ir a eleições intercalando (ou não) o calendário com as Presidenciais e Autárquicas.

Como este Governo vai manter como Ministra da Saúde a Srª. Doutora Marta Temido, eu, como cidadão e como Enfermeiro, que acredito plenamente no SNS e nas suas virtudes, desejo à Srª. Ministra, as melhores felicidades e um bom mandato do seu ministério, ao serviço da Nação.

Desejar as melhores felicidades à Srª. Ministra da Saúde é desejar que passe a escutar, respeitar e dialogar com os Enfermeiros, como Classe mais numerosa do SNS e resolva as injustiças que perpetrou até agora, numa luta política nunca antes vista. É desejar que sejam cumpridas as dotações seguras nos serviços, para bem dos cidadãos doentes e dos profissionais, também. É desejar que deixe de haver urgências e serviços de Pediatria encerrados por falta de médicos. É desejar que as grávidas possam dar à luz nas suas regiões e não tenham que fazer 200 e mais quilómetros, para os hospitais de Lisboa, por falta de Equipas nos seus hospitais de referência. É desejar que as listas de espera de cirurgias e primeiras consultas não sejam adulteradas e efectivamente reduzam o tempo de espera.

Permita-me Srª. Ministra lembrar-lhe que, os políticos passam e o seu poder é efémero, mas as instituições ficam. O SNS é uma instituição, já com os seus 40 anos, que merece todo o respeito, assim como os Enfermeiros, Médicos e Técnicos Superiores de Diagnóstico, porque estes serão sempre técnicos, e são eles, entre outros profissionais, que asseguram a qualidade dos cuidados prestados ao Cidadão e, por isso mesmo, merecem o seu maior respeito.

Como Enfermeiro, desejar que no momento após a eleição da Bastonária e dos Orgãos Sociais da Ordem dos Enfermeiros, a Srª. Ministra, Doutora Marta Temido, permita e abra o diálogo, conversações, negociações e trabalho conjunto profícuo, deixando para trás as desconfianças, os insultos, a perseguição e as difamações.

Se o Dr. António Costa preferiu manter a mesma Ministra da Saúde, apesar do desgaste de imagem e atitudes que esta governante tomou nos poucos meses de Ministério, será que se vai abrir um novo ciclo político com a mesma responsável? Ou seria um momento de pacificação e diálogo que aconteceria com outro responsável pela pasta? É que a partir de agora, a responsabilidade política, para o bem e para o mal, é também e essencialmente, do Sr. Primeiro-Ministro, Dr. António Costa!

Assim, sem sofismas nem cinismo, desejo que a Srª. Ministra da Saúde possa (re)entrar, agora, com o “pé direito” no seu Ministério, e que o período de campanha eleitoral e eleições lhe tenham dado um pouco de humildade, aumentado a capacidade de ouvir e escutar os Enfermeiros e respeitar as diferenças, para uma sadia convivência democrática, em favor do cidadão que merece ser cuidado, tratado e atendido na sua dimensão holística, com um SNS à altura dos seus desígnios constitucionais.