Logo Observador
Brasil

Polícia encontra “Aleijadinho” ‘desaparecido’ em cofre de Lula

14.494

Durante as buscas a casa de Lula, a polícia encontrou uma referência a uma sala-cofre no Banco do Brasil. Aí estavam joias, obras de arte e um crucifixo que teria desaparecido do Planalto.

AFP/Getty Images

Um cofre com 23 caixas lacradas e depositadas no Banco do Brasil desde 2011, altura em que Lula saiu da presidência do país, foi encontrado e aberto pela polícia brasileira no seguimento da investigação ao antigo Presidente da República. Entre os bens encontrados estão joias, esculturas, canetas e outros bens que terá recebido enquanto liderou o país. Pelo menos um dos objetos encontrados é algo que, segundo a revista Veja, não pertenceria a Lula da Silva.

Trata-se de um crucifixo barroco, obra de António Francisco Lisboa, o “Aleijadinho“, que desapareceu do Planalto depois da saída do Presidente Lula da Silva, em 2011, segundo indica a revista Veja. A existência deste cofre foi descoberta pelo polícia no decorrer das buscas à casa de Lula da Silva durante as investigações que ligam o político ao caso Lava Jato.

Já o jornal Globo diz que este Cristo não é da Presidência da República e pertence a Lula da Silva e foi-lhe dado por José Alberto de Camargo, que era conselheiro do Instituto da Cidadania e conselheiro do antigo Presidente. O instituto Lula da Silva já veio responder e disse que não “há mistério nem novidade” no assunto e que se trata de uma “devassa promovida por alguns procuradores mal informados sobre a legislação brasileira que trata da guarda e preservação dos acervos presidenciais”. Mas nas redes sociais, as dúvidas persistem.

As caixas foram depositadas naquele banco em janeiro de 2011 e ao gerente foi dito que as caixas pertenciam à Presidência da República. Até agora, as caixas não tinham sido movimentadas, nem o seu conteúdo alterado. No entanto, o documento de pertença das caixas, intitulado “Termo de Transferência de Responsabilidade” foi encontrado na casa de Lula da Silva.

Nota: artigo atualizado com a nota da Fundação Lula da Silva e notícia do Globo

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt