Logo Observador
Autarquias

PSD de Gaia aprova coligação com CDS-PP para próximas autárquicas

O PSD de Vila Nova de Gaia aprovou uma coligação com o CDS/PP nas eleições autárquicas deste ano. A reunião de militantes juntou mais de 250 sociais-democratas.

O documento votado contém o perfil do candidato à câmara de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, aprovado com duas abstenções e dois votos contra

Carlos Tavares/LUSA

O PSD de Gaia aprovou esta noite um “acordo de princípio de coligação” com o CDS-PP para as eleições autárquicas que se realizam este ano, indicou o presidente da Comissão Políticas de Secção, Cancela Moura. A reunião de militantes juntou, segundo o dirigente, mais de 250 sociais-democratas, tendo sido “uma das mais participadas de sempre” com “muitas intervenções” e “quase total unanimidade em todas as matérias”.

No documento votado lê-se que o PSD e o CDS-PP “têm especiais responsabilidades à escala municipal cujo histórico comum extravasa, em muito, as respetivas fronteiras ideológicas pelo que, face ao papel determinante que lhes cabe na construção de uma alternativa à atual maioria municipal [referindo-se ao PS de Eduardo Vítor Rodrigues], será importante consolidar o princípio de cooperação, com respeito pela autonomia da estratégia e opções políticas de cada um dos partidos, na formação de uma coligação eleitoral”.

Cancela Moura indicou à agência Lusa que o documento, que também contém o perfil do candidato à câmara de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, foi aprovado com duas abstenções e dois votos contra. “É preciso notar que é um acordo de princípio de coligação. Naturalmente que os congressos e as distritais também já fizeram as suas diligências, mas ainda temos de formalizar junto do CDS-PP. O que se sublinha nesta noite é sobretudo a quase unanimidade, a enorme convergência e muita participação”, indicou o presidente da concelhia do PSD de Gaia.

Cancela Moura também destacou “como marcas distintivas”, face às últimas autárquicas que decorreram em 2013, dois aspetos que constam no documento: que a coligação se comprometa a candidatar-se a todas as freguesias com listas próprias e a escolher uma pessoa com uma ligação “mais efetiva ao concelho”.

O documento fala em “objetivos comuns na definição de uma estratégia de desenvolvimento económico, consubstanciada na apresentação de propostas concretas nas áreas da educação, coesão social mobilidade, ordenamento do território e ambiente”.

Quanto ao perfil do candidato a presidente de câmara foram discutidos e aprovados critérios como ser escolhido um nome com “reconhecido espírito de serviço e na defesa do interesse dos gaienses” e com “comportamento pessoal, profissional e político orientado por valores éticos inequívocos”.

“Prestígio local e relação de afetividade com a comunidade capazes de potenciar o apoio eleitoral” é outro dos pontos que constam do documento aprovado. “Deverá merecer particular importância a promoção de candidaturas que garantam a participação de cidadãos independentes, vincando a abertura à sociedade civil e à participação cívica de caráter não partidário”, acrescenta o texto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt