Logo Observador
Comportamento

Mulheres vêem mais pornografia em dispositivos móveis

105

O site de conteúdo adulto, Pornhub, divulgou dados sobre a utilização do serviço. Os resultados indicam que as mulheres utilizam mais o smartphone para ver pornografia que os homens.

Youtube

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, o serviço de conteúdos para adulto, Pornhub, realizou um relatório sobre diversas diferenças entre homens e mulheres no que diz respeito ao consumo de pornografia. Ao que tudo indica, segundo o relatório, as mulheres acedem mais a conteúdos para adultos através de dispositivos móveis (smartphones ou tablets) do que homens.

Apesar do aumento no número de acessos através de dispositivos móveis se ter verificado, desde o início de 2017, em ambos os sexos, cerca de 80% das mulheres que acedem ao Pornhub preferem fazê-lo através de um smartphone ou tablet. No entanto, apenas 69% dos homens preferem estes dispositivos para aceder aos conteúdos.

Dados: Pornhub

Apenas se nota uma maior utilização de computadores nas mulheres com mais de 55 anos, com menos de 50% a utilizar os dispositivos móveis para aceder a conteúdos pornográficos. Do lado oposto do gráfico (abaixo) encontram-se as millennials, com 78% das mulheres entre os 18 e os 34 anos a preferir os smartphones e tablets.

Dados: Pornhub

O Windows e o Android são os sistemas operativos mais utilizados. Cerca de 84% do tráfego feminino vem de desktops com Windows, contrastando com os meros 12% que utilizam MacOS. Por outro lado, 53% acede através de dispositivos Android face aos 45% que utilizam o sistema iOS.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mrodrigues@observador.pt
Comportamento

Elogio da indiferença

Paulo Tunhas
160

Os micrologistas tendem à especialização em áreas particulares: alimentação, linguagem, e por aí adiante. Vigiam e incitam à punição. Os seus porta-vozes mais conhecidos são os “jornalistas de causas"

Autarquias

A arma secreta do civismo

Luís Newton
700

Se em nossas casas cumprimos regras para que as famílias vivam em harmonia, porque é que quando alguns saem às ruas optam por não cumprir as regras que permitem que a comunidade possa fazer o mesmo?

Comportamento

Ao terceiro dia

Laurinda Alves
4.889

Nas alturas em que a vida parece indecifrável e as rotinas ficam abaladas, o mundo fica um lugar tão estranho que apetece apagar a luz e pedir para nos acordarem quando tudo tiver passado.

Comportamento

A crise do casamento em Portugal

António Pimenta de Brito

Houve épocas em que a “maioria” defendia a escravatura, pelo que se não nos guiarmos por um direito natural, o jus naturale imutável de que os romanos falavam, ficamos reféns das maiorias a cada tempo

Mortalidade

Suicídios

Fernando Leal da Costa

Passos Coelho fez mal e já pediu desculpa. Talvez este infeliz deslize sirva para que os políticos, jornaleiros e jornalistas passem a ter mais cuidado e respeito quando comentarem mortes ou suicídios

Fogo de Pedrógão Grande

“Para inglês ver”

Paulo Tunhas

Quando toda a energia do Governo é em última análise canalizada para a manutenção do seu apoio, é fatal que o Estado se degrade e a pouco e pouco, se fragmente, se transforme em algo para inglês ver. 

Ásia

A Índia de Modi

Diana Soller

A política externa da Índia para os Estados Unidos, até hoje, pode ser resumida em três R: Ressentimento, Reciprocidade e Reconhecimento.

caderno de apontamentos

Educação e autarquias

Abel Baptista

Com a descentralização, não poderão as autarquias tornar-se mais competitivas entre si, e oferecer meios de ensino de melhor qualidade, com soluções adaptadas às circunstâncias do concelho e região?